Atualizações anteriores



Energia elétrica terá reajuste de 43,4% até o final de 2015


O reajuste da energia elétrica é consequência direta do repasse às tarifas do custo de operações de financiamento.

Em meio ao difícil cenário econômico brasileiro, alta das taxas de juros e aumento de impostos, mais uma notícia desagradável surgiu: até o final de 2015 a energia elétrica deve ter um reajuste de 43,4%. A informação foi divulgada pelo Banco Central na última quarta-feira, 24 de junho. A informação veio através do relatório de inflação do segundo trimestre de 2015.

Vale ressaltar que há apenas duas semanas atrás o Banco Central havia divulgado a sua previsão para o reajuste da energia elétrica em 2015: 41% até o final do ano. E para aqueles que não sabem, esse reajuste é uma consequência direta do repasse às tarifas do custo de operações de financiamento. Tais operações foram contratadas ainda em 2014 e faz parte da Conta de Desenvolvimento Energético.

Vale destacar que todo esse reajuste além da dificuldade do setor energético em 2015 é resultado direito de algumas ações do governo federal. O principal deles foi a decisão do governo de que não tinha mais interesse em fazer repasses a Conta de Desenvolvimento Energético em 2015. Era estimado um repasse de cerca de R$ 9 bilhões em 2015 para o setor. Portanto, isso explica em grande parte os aumentos enormes nas contas de energia em todo o Brasil.

Outro detalhe bastante importante e que também incide no aumento da conta de energia por todo o Brasil está relacionado ao custo de produção. Saiba que o custo de produção de eletricidade começou a aumentar a partir do final de 2012, haja vista uma queda expressiva no armazenamento de água nos reservatórios de grandes hidrelétricas do Brasil.

Com isso, visando poupar água e manter o mesmo ritmo de distribuição de energia elétrica, o país vem utilizando em maior escala os serviços das termelétricas. É importante destacar que as termelétricas funcionam a base da queima de combustíveis, portanto, geram uma energia mais cara.

Também podemos destacar o plano do governo federal no final de 2012 que acabou levando a redução das contas de luz em 20%. O ponto negativo nessa questão é que o governo teve que antecipar a renovação das concessões de geradoras e transmissoras de energia. Em decorrência disso, as mesmas tiveram que receber indenizações referentes aos investimentos que não tinham sido pagos de forma integral.

Por Bruno Henrique

Energia elétrica



Governo autoriza Aumento na Tarifa dos Correios


Serviços dos Correios ficarão mais caros em 2015. Governo autorizou um reajuste de 9,32% nas tarifas.

As agências dos Correios deverão cobrar mais caro pelos serviços postais e telegráficos prestados à sociedade, o novo reajuste está em torno de 9,329%. Este informativo foi divulgado pelo Diário Oficial da União do dia 7 de abril de 2015.

Como os serviços prestados pelos Correios são regidos por leis que controlam suas atividades, os novos valores somente poderão ser cobrados dos cidadãos quando ocorrer à publicação oficial na Portaria do Ministério das Comunicações, pois este setor é responsável por todo o segmento comercial dos Correios, por isso que deverá estabelecer todos os valores exatos por cada serviço realizado.

Com este novo percentual sobre as taxas, uma carta comercial de até 20 gramas poderá custar até R$ 1,41, a carta simples e não comercial passará de R$ 0,85 para R$ 0,95, já o telegrama nacional, que custava R$ 5,37, poderá ser cobrado valores de R$ 5,87 a R$ 8,50 por página.

O último reajuste dos Correios foi em julho de 2014, no valor de 7,85%. E segundo o ministro Joaquim Levy, outros tipos de reajustes poderão ocorrer somente depois de um ano, ou seja, depois que a implementação das novas taxas começarem a ser cumpridas no período de 12 meses.

O aumento já era previsto, pois outros reajustes já tinham sido realizados devido ao aumento da inflação, como no preços dos combustíveis, transportes, contratos de aluguel, vigilância, serviços de limpezas, entre outras despesas que uma empresa precisa arcar.

Vale ressaltar que os Correios desempenham a importante função de atender as necessidades de serviços de entrega de produtos, como também aproxima muitas pessoas em diversas relações comerciais. Serviços úteis como o Sedex, entrega de livros didáticos e vários outros tipos de serviços, organizam as relações comercias e individuais de cada cidadão da sociedade.

Enfim, sabe-se da importância dos Correios e outras empresas para a sociedade, mas a crise está favorecendo o aumento de muitos produtos e serviços, por isso é preciso que o Governo trabalhe na busca de soluções, para que esses reajustes de preços não prejudiquem tanto o cidadão.

Por Jaqueline Mendes



Tarifa da energia elétrica será reajustada em 4 estados


MG, SP, MT e MS sofreram novos reajustes na tarifa de energia elétrica

Nesta quarta-feira (08) a tarifa de energia elétrica será reajustada em 4 estados. Vão pagar mais caro na próxima conta de luz os consumidores dos estados de Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Os reajustes foram aprovados nesta terça-feira (07) pela ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica.

A CPFL – Companhia Paulista de Força e Luz – terá um reajuste em suas contas de 4,13% para os consumidores residenciais e para as indústrias o reajuste será de 5,29%. Mais de 4 milhões de unidades consumidoras são atendidas pela CPFL em 234 municípios no estado de São Paulo.

Já a CEMIG, em Minas Gerais, terá um reajuste em suas tarifas de 5,93% para os consumidores residenciais e para as indústrias o reajuste será de 8,12%. Ao todo, a CEMIG atende hoje mais de 8 milhões de unidades nos 805 municípios atendidos em todo o estado de Minas Gerais.

Para o Mato Grosso do Sul, o reajuste será de 2,74% para as residências e de 3,64% para as indústrias. A empresa Energisa de Mato Grosso do Sul atende 942 mil unidades consumidores distribuídas em 73 municípios do estado.

E a Energisa Mato Grosso terá uma redução no valor das contas, sendo de 2,22% para as tarifas dos consumidores residenciais e 3,42% de redução para as indústrias. A empresa atende 1,2 milhão de unidades consumidoras nos 141 municípios atendidos em Mato Grosso.

A Aneel autorizou os reajustes levando em consideração a variação de custos que estas empresas tiveram no ano. Para se fazer o cálculo, foram incluídos os custos típicos para a distribuição de energia e ainda o Índice Geral de Preços do Mercado – IGP-M, além de outros custos que se tem, por exemplo, a energia comprada, mais encargos de transmissão e também os encargos setoriais.

No início de março estas 4 distribuidoras já tiveram um aumento devido à Revisão Tarifária Extraordinária que a Aneel aprovou, sendo:

– CPFL – 31,8%;

– CEMIG – 28,8%;

– Energisa MS – 27,9%;

– Energisa MT – 26,8%.

Por Russel

Energia elétrica

Foto: Divulgação



Dicas FGTS – Reajuste Correto do fundo é um direito do cidadão


Todos os cidadãos brasileiros que tenham contribuído com o FGTSdesde o ano de 1999 têm o direito dado por lei trabalhista aoreajuste do percentual do FGTS. Para entender, o cálculo feito era de uma taxa sobre o depósito feito no mês vigente e de uma taxa de 3% a 6% ao ano.

Para contabilizar este reajuste do FGTS, o governo utilizava o reajuste dado pela TR (Taxa Referencial), baseada em índices errôneos, com isto, causando aos trabalhadores uma defasagem que pode chegar até a 88% do valor exato. A TR não acompanhava ao INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), indicador que acompanha a variação da inflação sobre os preços médios dos produtos e serviços, causando com esse erro, a correção inexata dos valores.

Para todos aqueles que tenham ou tiveram saldo no FGTS nos últimos 14 anos, deve procurar por um advogado trabalhista, movendo uma ação individual ou sindicato da categoria, no caso, para aproveitar ações coletivas, pois, para reaver a diferença no saldo, o trabalhador precisará mover ação contra a Caixa Econômica Federal, a entidade gestora do FGTS.

Ao solicitar os seus direitos é necessário que disponibilize os seguintes documentos: Extrato do FGTS desde 1999 ou conforme o período, tal documento pode ser recolhido junto a qualquer agência da Caixa Econômica, cópia do RG e CPF, comprovante de endereço, cópia da CTPS e PIS/PASEP e para os aposentados, apresentar cópia da carta de Concessão do Benefício.

Em relação a receber de imediato ou não os valores correspondentes, serão estabelecidos de acordo com a Justiça Federal, pois o FGTS possui regras específicas para os saques e, de qualquer maneira, a diferença pode ser reajustada ao saldo existente em conta e utilizada para outros benefícios, tais como a aquisiçãodo financiamento da Casa Própria.

Para os trabalhadores que já tiveram o resgate do FGTS, devido a demissões sem justa causa ou aposentadoria, verifique a melhor forma de entrar com a ação junto ao seu advogado.

FGTS.



Cálculo para o reajuste do salário mínimo em 2015 pode mudar


Vence no próximo ano, 2015, a lei que regulamenta o ajuste do salário mínimo. De acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, Dieese, o salário deveria ser de R$ 2.700,00. Também segundo informações divulgadas pelo Departamento, 48,2 milhões de pessoas possuem o vencimento ligado ao salário mínimo.

De acordo com os cálculos feitos pelo Governo, o brasileiro tem tido nos últimos dez anos um ganho real de 73,35% nos seus rendimentos. Este cálculo realizado leva em conta o crescimento do PIB e a inflação resultante do período de dois anos.

Este é um assunto polêmico, visto as discussões que gera. Uns admitem que o salário mínimo deveria ser calculado da mesma forma que vem sendo estipulado até agora, outros acreditam que a melhor forma de salvaguardar o ganho real seja mediante o controle rígido da inflação. Centrais sindicais e economistas estão em extremos opostos.

Os economistas são a favor do controle da inflação, isso porque um aumento importante do salário mínimo mexeria também na Previdência Social, sendo assim, defendem que esse controle seja feito e que as regras que atrelam o salário em função da inflação sejam revisadas.

Segundo o ponto de vista dos membros da CUT (Central Única dos Trabalhadores), o cálculo não deve ser revisado nem alterado e afirmam que não irão aceitar qualquer tipo de mudança. Para eles, a mudança no cálculo seria um retrocesso considerando que o salário está no seu melhor momento.

Patrícia Palatieri, coordenadora executiva do Dieese, concorda que avanços na forma de calcular são importantes, mas que essa revisão não levaria a uma diminuição do ganho real. Ela acredita que as regras e a metodologia é que devem ser verificadas e que o valor do mínimo deve sim ser aumentado.

Embora existam discussões sobre o assunto, o Ministério da Fazenda afirma que esse reajuste e a forma de cálculo ainda não estão sendo discutidos.

Por Melina Menezes

Dinheiro

Foto: Divulgação



Salário Mínimo em 2013


Anunciado no último dia 24, o reajuste do salário mínimo para 2013 será de 9%, elevando o valor de R$ 622,00 para R$ 678,00.

Com um acréscimo de R$ 56,00 na renda de aproximadamente 45,5 milhões de brasileiros, o governo espera que a economia seja impactada em cerca de R$ 32,7 bilhões, destes, R$ 15,9 bilhões retornando aos cofres públicos por meio de arrecadações tributárias.

De acordo com o Dieese, o valor ainda é muito abaixo das reais necessidades da população, que deveria receber um salário mínimo de aproximadamente R$ 2.600,00. Contudo, em 10 anos, verificou-se um aumento real de 70% no valor do salário mínimo que, segundo previsões do governo, deverá chegar perto dos R$ 1.400,00 em 2023.

O cálculo do reajuste do salário mínimo foi baseado no percentual do PIB (Produto Interno Bruto) do ano de 2011, que atingiu 2,73% e o percentual da inflação, medido pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), que foi de 6,1%.

Segundo a Ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, a presidente Dilma fez questão de fazer o anúncio do reajuste do salário mínimo no dia de Natal como um incentivo ao povo brasileiro por seus esforços durante o ano de 2012.

Por Évelim Wroblewski



Reajuste nos preços dos remédios


Foi publicado no Diário Oficial da União de segunda-feira (19) que os membros do Conselho de Ministros da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) decidiram reajustar o preço dos remédios em até 5,85%. A medida começa a valer a partir de 31 de março.

O cálculo utilizado para o reajuste foi a informação de que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulou a taxa de 5,85% entre março de 2011 e fevereiro de 2012. Com isso, a partir de 31 de março, as empresas produtoras de medicamentos vendidos no Brasil poderão aplicar o reajuste.

No entanto, dependendo do nível do medicamento, o aumento será diferenciado. Para os remédios de nível 1, os medicamentos podem ter alta de até 5,85%. São englobados neste quesito os genéricos com faturamento igual ou acima de 20%. Já no nível 2, o reajuste de preços poderá ser de até 2,8%. Neste caso, estão os remédios cuja participação de genérico está entre 15% e 20%. Por último, no nível 3, o reajuste deverá ser de 0,25% para os medicamentos que têm menos de 15% dos genéricos no mercado.

O reajuste de medicamentos é permitido anualmente pelo Governo Federal.

Por Matheus Camargo



Reajustes nos pisos salariais de São Paulo


Foi aprovado em Plenário da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, no dia 23 de fevereiro, o Projeto de Lei 1/2012 do Executivo acerca dos novos pisos salariais.

De acordo com a proposta do novo projeto, o salário mínimo regional será reajustado conforme as categorias. Desta forma, cada piso passa a ter os seguintes valores: R$ 690 para trabalhadores domésticos, serventes, trabalhadores agropecuários, trabalhadores florestais, pescadores, entre outros; R$ 700 para operadores de máquinas e implementos agrícolas e florestais, operadores de máquinas da construção civil, de mineração e de corte e lavra da madeira, classificadores de correspondência e carteiros, tintureiros, barbeiros, cabeleireiros, manicures e pedicures, dedetizadores, vendedores, costureiros e estofadores, pedreiros, entre outros; e R$ 710 para administradores agropecuários e florestais, trabalhadores de serviços de higiene e saúde, chefes de serviços de transportes e de comunicações, supervisores de compras e de vendas, agentes técnicos em vendas e representantes comerciais.

O reajuste do salário mínimo no Estado de São Paulo foi de 15% sobre o valor de 2011, aproximadamente.

Por Débora Dacanal

Fonte: ALESP



Reajuste do Salário Mínimo – Nova proposta para 2012


O salário mínimo passou a vigorar no Brasil no dia 1º de maio de 1940, durante o Governo de Getúlio Vargas e desde então veio sofrendo modificações.

Observe uma breve tabela dos reajustes:

– Julho de 1940 – $ 240$000;

– Outubro de 1960 – Cr$ 9.600,00;

– Maio de 1970 – Cr$ 187,20;

– Maio de 1985 – Cr$ 333.120,00;

– Maio de 1990 – NCZ$ 1.283,95;

– Abril de 2000 – R$ 151,00;

– Maio de 2005 – R$ 300,00;

– Janeiro de 2010 – R$ 510,00;

– Março de 2011 – R$ 545,00.

Atualmente o salário mínimo é de R$ 545,00, mas uma proposta de orçamento prevê um aumento de R$ 74,21 para o ano de 2012, passando a R$ 619,21.

O reajuste salarial é feito de acordo com a inflação do ano anterior e o desenvolvimento do PIB (Produto Interno Bruto ) dos últimos dois anos.

E quando o assunto é  inflação, podemos dizer que segundo a Fundação Getúlio Vargas, o índice IGP-DI (Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna) acelerou 0,43% em novembro, e em mais ou menos um ano o IGP-DI  variou 5,56%. 

Já o IPC (Índice de Preços ao Consumidor) avançou 0,53%. No setor de despesas está a Alimentação com 0,78% no geral com:

  • -3,84% para 0,05% para hortaliças e legumes;
  • -0,68% para 2,20% para frutas;
  • 1,15% para 3,20% para carnes bovinas.

Ao todo, todos os setores de despesas sofreram aumento. 

Para ler mais sobre o assunto clique aqui.

Por Vânia Beatriz Ruperti



ANS – Planos de saúde devem ter reajuste de 6,6%


Os consumidores brasileiros são constantemente bitributados.  O que significa esse termo, na prática? Pois bem, ao pagar impostos, a população destina parte de sua renda para as áreas da saúde, da educação, do transporte e tantas outras. Como nem sempre agradam, alguns optam por serviços particulares.

O caso da saúde é um dos melhores para ser citado, pois várias pessoas preferem qualquer plano mais simples a depender do sistema público. No entanto, este deve ficar mais caro em breve, segundo informações de um executivo consultado pelo jornal Correio Brasilienze.

Pelo visto, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) deve reajustar os planos em 6,6%, índice que ultrapassa a taxa da inflação acumulada dos últimos 12 meses. Com isso, 7,8 milhões de conveniados terão de pagar um pouco a mais para ter acesso aos planos particulares.

A Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-SP) e o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) ponderam que se a metodologia de reajuste anual emplacada pela ANS se mantiver, daqui a três décadas os planos de saúde terão ascendido pouco mais de 126% sobre o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Infelizmente, nem o serviço privado é totalmente suficiente. Basta verificar em sites de reclamações as dificuldades de marcar consultas, realizar operações e outros procedimentos. Curiosamente, falta saúde para o país.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: SPC Brasil



ENF irá reajustar tarifas de Nova Friburgo (RJ)


Ter acesso a energia elétrica é um bem, grosso modo, garantido pela Constituição do país. Um simples “acender de luz”, “ligar o chuveiro”, “grelhar uma carne numa assadeira elétrica” e inúmeros outros exemplos são tarefas que passam despercebidas no dia-a-dia, mas basta uma queda no sistema para que esse recurso seja bem lembrado.

No dia 18 de junho, a Energisa Nova Friburgo Distribuidora de Energia S/A (ENF) reajustará as tarifas de energia às residências de Nova Friburgo, no Rio de Janeiro. A decisão foi acordada na terça-feira (24 de maio) pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL).

Inicialmente, a empresa havia solicitado alteração do reajuste para 15 de março do próximo ano no intuito de o acréscimo casar com o reajuste a ser efetuado pela Ampla Energia e Serviços S/A. Caso o adiamento ocorresse, o aumento seria consideravelmente elevado porque é revisto com base na variação do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M).

Por Luiz Felipe T. Erdei



ANAEEL – Reajuste no preço da energia elétrica em Novo Horizonte (SP)


A população atenta às notícias econômicas têm debatido pela rede mundial de computadores questões como alta da inflação, alta dos combustíveis nos postos de todo o país, assim como passou a deliberar sobre o elevado custo da concessão de energia elétrica a cada lar.
Na próxima terça-feira (17 de maio), consumidores que recebem energia elétrica por meio da Cooperativa de Eletrificação e Desenvolvimento Rural da região de Novo Horizonte (CERNHE) terão de arcar com um valor mais alto para ligar geladeira, televisão, lâmpadas e chuveiros elétricos, entre outros utensílios.
De acordo com artigo publicado no site da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), o reajuste médio será de 10,47% para 2.572 unidades consumidoras na comuna de Novo Horizonte, no interior de São Paulo.
Ainda segundo a ANEEL, o principal influenciador nessa alta de considerável percentual foi a despesa da cooperativa com o pagamento de encargos segmentais.
Por Luiz Felipe T. Erdei



Contas de luz ficam mais caras em quatro distribuidoras


A população mundial com acesso a energia elétrica não valoriza um simples click no acender da luz, um chuveiro em funcionamento, horas a fio por meio de computadores. Esse fato só é considerado, na maioria das vezes, quando a conta de luz chega à residência ao final do mês ou quando o recurso é cortado (seja por falta de pagamento ou acontecimentos naturais).

Informativo divulgado na página virtual da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aponta que quatro distribuidoras de energia incrementarão os valores das contas por meio de um reajuste tarifário, já em conformidade ao calendário anual que leva em apreço a data de aniversário dos contratos de concessão anteriormente assinados.

A Caiuá Distribuidora S/A terá reajuste de 6,07%, em média, enquanto a Companhia Nacional de Energia Elétrica de 5,77%. Completam a lista a Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S/A, cujo índice de alta será de 12,04%, e a Empresa Elétrica Bragantina S/A, de 4,68%.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Reajuste do IGP-M de maio será o menor de 2011


Alugar casa é uma das opções para quem deseja ter seu próprio espaço. Com a família, entre amigos ou simplesmente sozinho, esse sistema de acesso a residências tem ocasionado falta de imóveis na cidade de São Paulo segundo constatação do Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Comerciais e Residenciais de São Paulo (Secovi-SP).

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) é utilizado como base para o reajuste dos contratos de locação. Dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV) assinalam que em maio ocorrerá o menor reajuste de 2011, com variação percentual de 10,60% referente ao acumulado entre maio do ano passado e abril deste ano.

Para Roberto Akazawa, gerente do Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP, aproximadamente 90% do mercado de aluguéis utiliza o indexador IGP-M como alicerce para reajustes, porém o acerto entre contratado e contratante pode ser realizado da maneira como convier às duas partes.

Mesmo assim, nos dias atuais o reajuste baseado no IGP-M precisa ser consagrado integralmente em função da pouca oferta de imóveis.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Assessoria de Imprensa (Secovi-SP)



Reajuste do Piso Salarial no Rio Grande do Sul – Novos valores


Saber qual profissão vai seguir é muito importante, mas também é interessante ficar atento quando o assunto é a faixa salarial do seu segmento de atuação.

No Estado do Rio Grande do Sul, o mês de março de 2011 marcou o anúncio do governador Tarso Genro, do Partido dos Trabalhadores, sobre o reajuste do piso salarial para a região. O aumento para esta ocasião foi de 11,6%. Esse foi o maior já registrado desde o ano de 2001 em terras gaúchas. Serão mais de 1 milhão de trabalhadores que serão beneficiados com os seus pisos reajustados.

Pois bem, agora veremos como ficaram as faixas salariais. Na primeira faixa, que engloba servidores da área da agricultura, empregados domésticos, motoboys, entre outros, o piso salarial pode chegar até o valor de R$ 610. Se você faz parte da indústria de vestuário e calçados, indústrias do papel, distribuidores de jornais, indústrias de fiação e tecelagem, etc, terá um vencimento de até R$ 624,05.

Na terceira faixa estão os profissionais do ramo imobiliário, indústrias químicas e farmacêuticas, indústrias de alimentação, agentes autônomos, entre outros, que terão uma base de até R$ 638,20. Na última faixa estão as indústrias metalúrgicas e também de material elétrico, agentes autônomos de seguros privados, indústrias de vidros, indústrias de joalheria, entre outros, com uma faixa que vai até o valor de R$ 663,40.

Por Oscar Ariel



Energia Elétrica – 10 distribuidoras irão reajustar os valores das tarifas


Essencial para a vida em função da organização social, a energia elétrica oferecida por dez distribuidoras serão atualizadas neste mês. De acordo com o calendário da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), estão dentro do cronograma de altas a AES Sul Distribuidora Gaúcha de Energia S/A, a Centrais Elétricas Matogrossenses (Cemat), a Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba), a Companhia Energética de Minas Gerais S/A (Cemig), a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), a Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern), a Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL-SP), a Empresa Energética de Mato Grosso do Sul S/A (Enersul), a Energisa Sergipe – Distribuidora de Energia S/A (ESE) e a Usina Hidro Elétrica Nova Palma Ltda (Uhenpal).

A partir do próximo dia 8 (sexta-feira), as empresas Cemat, Cemig, CPFL Paulista e Enersul já repassarão os reajustes aos consumidores. A AES Sul e a Uhenpal praticarão a alta de 19 de abril em diante, enquanto Coelba, Cosem e Energisa Sergipe darão início às novas diretrizes em 22 de abril. A Celpe, finalmente, reajustará os valores no dia 29.

Os índices de reajuste médio vão desde 6,71% pela CPFL, atingindo 234 municípios, até 13,18% pela Cemat, taxa de incremento que afetará 141 municípios.

Por Luiz Felipe T. Erdei



RF – Reajuste dos impostos sobre cerveja, água e refrigerante


A carga tributária brasileira é uma das mais elevadas do mundo. A população destina altos percentuais de seu salário apenas para o pagamento de impostos. Produtos estrangeiros são exemplo típico de taxas elevadíssimas, pois um iPad 1, no site Amazon.com, por exemplo, é ofertado por cerca de US$ 470 (aproximadamente R$ 780) numa das versões mais básicas, enquanto em e-commerces nacionais o mesmo equipamento pode ser adquirido por R$ 1.399,00.

Na terça-feira (22/03), Carlos Alberto Barreto, secretário da Receita Federal, apregoou o iniciou da correção dos tributos sobre água, cerveja e refrigerante, em outros termos bebidas frias. Adiantou ainda, que essas revisões terão por base o sistema de 2008.

Segundo Barreto, o sistema de elevação retornou após a crise financeira mundial do biênio 2008-2009, interrompido como maneira de o país conseguir superar o colapso com maior destreza. O secretário afiança que a Receita terminou os estudos em torno do assunto e que o reajuste depende de um decreto a ser assinado por Dilma Rousseff, presidente do Brasil, e Guido Mantega, ministro da Fazenda.

Os reajustes ocorrerão uma vez por ano daqui por diante.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Portal Brasil



Reajuste do Salário Mínimo Regional


As discussões sobre o reajuste do salário mínimo alcançaram grandes proporções. Após muitas delongas, foi definido que o valor de R$ 545, inicialmente endossado pelo governo, se mantém. Alguns estados, diferentemente, debatem valores diferenciados, com mínimo de R$ 553,31, encabeçado pelo Rio de Janeiro, e máximo de R$ 640, pelo Ceará.

De acordo com a Confederação Nacional de Municípios (CNM), apesar de alguns estados seguirem essa ideia, os municípios precisam obedecer a lei vigente e o valor acordado pelo Congresso.

A CNM assinala que após ter sondado todas as unidades federativas, apenas Santa Catarina, São Paulo, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Paraná e Ceará possuem a lei que regulamenta sobre mínimo regional.

De acordo com Paulo Ziulkoski, presidente da confederação, as leis em cada local são diferentes. Em São Paulo e Rio Grande do Sul, os salários regionais abrangem servidores estaduais e categorias profissionais, enquanto no Ceará apenas servidores públicos estaduais.

Infelizmente, o valor de R$ 545 não atende às reais necessidades dos trabalhadores. O Brasil ainda possui muitas deficiências e altos gastos, além do famigerado rombo da Previdência. A metodologia de avanço do mínimo é coerente, mas o valor insuficiente.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Salário Mínimo – Novas expectativas para o reajuste


A pretensão de reajuste do salário mínimo deste ano deve ficar aquém das exigências das centrais sindicais, uma vez que o valor pedido, de R$ 580, é constantemente refutado pelo governo brasileiro, que deliberou alta para R$ 545 desde as primeiras semanas de 2011.

Aparentemente insatisfeitas, a Central Única do Trabalhador (CUT), a União Geral dos Trabalhadores (UGT) e as demais centrais pretendem, realmente, que o reajuste suba para R$ 560, ou seja, R$ 15 a mais em relação ao acordado pelo governo. Segundo Roberto Santiago, deputado federal pelo Partido Verde (PV) e vice-presidente da UGT, a diferença será descontada do reajuste de 2012, estimado em aproximadamente 14%.

Na visão de Santiago, o salário nesse valor é uma opção que dá margem aos trabalhadores que anseiam manter o acordo sobre o salário mínimo e que também precisam recobrar uma dose dos ganhos obtidos pela economia do país ao longo do ano passado.

Nesta semana, é bem provável que o martelo em torno do mínimo seja batido dentro do reajuste de R$ 560, pois, como enfatiza Santiago, os deputados devem atender aos interesses de toda a população – o voto será aberto.

Conforme já previsto anteriormente, dificilmente as centrais conseguiriam uma alta para R$ 580. A Previdência Social já abriga um grande rombo – no futuro o Brasil terá problemas para resolver – e o aumento para cada um dos trabalhadores pesará amplamente nas contas públicas, embora mais dinheiro na economia signifique maior consumo.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Maxpress



Reajuste do Salário Mínimo – Novo Valor


O reajuste do salário mínimo é um tema debatido amplamente desde o ano passado. O governo defendeu com unhas e dentes alta para R$ 540, contra R$ 510 do valor anterior, enquanto as centrais sindicais almejaram (e ainda anseiam) avanço para R$ 580.

Finalmente, foi acertado montante de R$ 545, terminando as negociações que duraram semanas. Na visão de Roberto Macedo, vice-presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), o valor foi corretamente reajustado em meio às pressões para uma alta maior, garantindo continuidade de crescimento econômico por meio da contenção de despesas.

Apesar do acordo, manifestantes se reuniram na Avenida Paulista (São Paulo), no dia 18 de janeiro, no intuito de reivindicar majoração além dos R$ 545. Até o fechamento deste artigo, porém, não houve novidades relacionadas ao mote.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Band Online



Reajuste do Seguro Desemprego – Novos Valores


Antes do término de seu mandato, Luiz Inácio Lula da Silva determinou por meio de Medida Provisória (MP) reajuste do mínimo para R$ 540, contrariando as expectativas da Força Sindical e das Centrais Sindicais. O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat), por sua vez, também decidiu seguir o mesmo índice de reajuste do salário base para as parcelas do seguro-desemprego.

Com essa disposição, o trabalhador dispensado de suas atividades sem justa causa, ou seja, com todos os seus direitos a receber, passa a ganhar, pelo menos, R$ 540, com teto máximo de R$ 1.010,34.

Segundo a assessoria de imprensa do órgão, o governo também determinou reajuste aos aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) de ganhos superior a um salário mínimo para além do próprio mínimo, em 6,41%.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Reajuste do Salário Mínimo para 2011 – Novo Debate


A discussão envolvendo o reajuste do salário mínimo para 2011 parece não ter fim. O governo brasileiro se dispôs a aumentar o valor para R$ 540, deliberação que não agradou a Força Sindical e a Central Única dos Trabalhadores (CUT). Por isso, ambas devem, a partir do dia 10 de janeiro, reiniciar o processo para elevar a importância para R$ 580.

De acordo com reportagem veiculada pela Agência Brasil, até o momento a cifra de R$ 540 se mantém, conforme Medida Provisória (516) acurada por Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente do país, antes de terminar sua gestão. O governo justifica que qualquer valor acima desse poderá implicar problemas sobre as contas públicas.

Na visão de João Carlos Gonçalves, secretário geral da Força Sindical, o governo pondera a alta como despesa, porém, avalia, a alta surtirá como investimentos, tanto que existe retorno de valores em forma de impostos, e ao fim de 2011 o incremento se dissipará.

Cálculos desenvolvidos pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) assinalam que a alta para R$ 540 gerará R$ 18 bilhões de expansão da renda na economia e outros R$ 8,8 bilhões por meio da arrecadação de tributos relativos ao consumo.

Apesar de endossar alta para R$ 580, as centrais podem entrar num acordo, porém com valor acima do pretendido pelo governo.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Reajuste do Salário Mínimo em 2011 – Confirmação do novo Valor


O debate sobre o reajuste do salário mínimo pautou não somente o alto escalão do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como, também, as centrais sindicais. O primeiro endossou até as últimas horas de 2010 alta para R$ 540, enquanto o segundo, por sua vez, R$ 580.

No início da primeira semana de janeiro de 2011 Miriam Belchior, ministra do Planejamento, asseverou que a definição do mínimo permanece em R$ 540, como o já mencionado governo anterior ao de Dilma Rousseff endossou.

Informações divulgadas pela Agência Brasil indicam que os novos condutores do país serão pressionados por parlamentares para incremento a um valor mais elevado, inclusive se depender de Paulo Pereira da Silva, presidente da Força Sindical e líder do PDT.

Leia mais: Decisões sobre o Reajuste do Salário Mínimo – Lula e Dilma Rousseff

Por Luiz Felipe T. Erdei



Reajuste do Salário – Benefícios para classes C e D em 2010


Ao longo de 2010, alguns setores mais baixos da sociedade brasileira se beneficiaram com o reajuste do salário mínimo. Ainda longe de possui uma distribuição de renda igualitária, a economia do Brasil anda possuindo um avanço do consumo de classes C e D.

De acordo com o jornal Folha de São Paulo, setores como os de construções civis e serviços domésticos estão com maior rendimento devido ao reajuste salarial e à escassez de profissionais qualificados nos setores, sendo portanto um pouco mais valorizados.

Ainda de acordo com a publicação, algumas regiões tiveram maior distribuição de renda que outras. Nesse processo, destaca-se Recife (com um aumento de salário de 10,4%), Rio de Janeiro (aumento de 5,6%) e Belo Horizonte (aumento de 5,5%). Em São Paulo, esse crescimento de salário foi de apenas 0,5%.

Mesmo com essa melhora na distribuição de renda, o país ainda tem um longo caminho a percorrer para melhorar a qualidade de vida das classes baixas e também melhorar a educação para formar profissionais mais capacitados.

Por Adriana Arruda



Reajuste do Salário Mínimo – Aguardando a aprovação de Lula


A aguardada reunião para o debate sobre o reajuste do salário do mínimo, atualmente em R$ 510, ocorreu na tarde da última quinta-feira, 18 de novembro. Durante os últimos dias as centrais sindicais assinalaram intenção de cobrar do governo aumento real, para R$ 580, superior em R$ 40 ao endossado por Paulo Bernardo, ministro do Planejamento.

Apesar de se mostrar irredutível, Bernardo assegura que o governo brasileiro tem feito as devidas contas e que a deliberação final ficará a cargo de Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil, depois de sondada a opinião de sua sucessora, a ex-ministra da Casa Civil Dilma Rousseff.

O sistema atual para reajuste do mínimo ocorre a partir da variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes e da inflação do ano anterior. O que tem deixado as centrais sindicais com a orelha em pé é que a economia brasileira apresentou retração de -0,2% em 2009, bem diferente das perspectivas de avanço para 2010, algo no nível de 7,5% segundo cálculos do Banco Central.

Se o sistema vigente prevalecer, de acordo com o portal de notícias G1, o reajuste ao mínimo seria de aproximadamente 5%, resultando, portanto, em R$ 540 (valor arredondado). No intuito de argumentar alta para R$ 580, Artur Henrique da Silva, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), ressalta que a ampla maioria das categorias conseguiu reajuste acima da inflação.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Salário Mínimo – Previsões de Luiz Dulci para o Reajuste em 2011


Debater reajuste para o salário mínimo, atualmente em R$ 510, poderá ser uma tarefa árdua entre os envolvidos. As centrais sindicais almejam alta para R$ 580, mas o governo pleiteia valor próximo de R$ 540. O cálculo utilizado nos dias atuais tem por base a inflação acumulada de 12 meses mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes.

Para Luiz Dulci, ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, o valor de R$ 540 sugerido pelo poder Executivo poderá ser ultrapassado, porém, caso a legislação atual citada no primeiro parágrafo seja seguida, o Ministério do Planejamento avalia que o ajuste deveria abranger alta de 5,3%, portanto para R$ 536,88.

Em entrevista concedida a um programa de rádio, Dulci pondera que o espírito da política é que em cada ano exista um reajuste para conferir aumento real, sem, no entanto, haver atos irresponsáveis.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Terra



Reajuste do Salário Mínimo – Valores para 2011 – Previsões de Carlos Lupi


Os debates para demarcar o novo reajuste do salário mínimo ao ano que vem ganham novas opiniões e ideias a cada dia. Centrais sindicais ambicionam valor de R$ 580, superior ao conjeturado pelo governo com base na fórmula de cálculo atual. Carlos Lupi, ministro do Trabalho e Emprego, decidiu embarcar, obviamente, na discussão.

Para ele, o novo mínimo (atualmente em R$ 510) para entrar em vigor já a partir de 1º de janeiro será fruto de negociações entre as centrais sindicais e o governo com partidos políticos, podendo ser estabelecido de R$ 560 a R$ 570, inferior à pretensão de R$ 600 de José Serra (PSDB), candidato derrotado no segundo turno das eleições presidenciais.

Lupi assegura que abaixo dessa estimativa não deverá ficar. Segundo o portal de notícias R7, a proposta do governo é de R$ 538, podendo, “inclusive”, ser arredondado para R$ 540.

Mantendo a cordialidade, o ministro do Trabalho considerou que Dilma Rousseff (PT), presidente eleita, deverá participar dos debates para a deliberação do novo valor do salário mínimo com o devido respeito às diretrizes atuais.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Salário Mínimo – Estudos para calcular o Reajuste


Uma das propostas do candidato do PSDB derrotado na eleição presidencial, José Serra, a de reajuste do salário mínimo para R$ 600 em 2011 pode acontecer pelas mãos da presidenta eleita, Dilma Rousseff. Embora seja sempre delicado se falar em reajuste do mínimo e principalmente no peso que o reajuste teria, por exemplo, nas contas da previdência social e sempre que se fala neste assunto inúmeras autoridades se apressam em demonstrar por meio de diversos cálculos o tamanho do rombo e quanto custaria o reajuste, mas em matéria do site Eleições UOL, a presidenta eleita afirmou em sua primeira entrevista coletiva após a vitória nas urnas que no final de 2011 o salário poderá chegar a R$ 600 e bem acima de R$ 700 em previsão para 2014.

Mas não existe mágica para isso. Pela atual fórmula de reajuste do salário mínimo ele ocorre anualmente levando em conta à variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes somada a inflação registrada pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). Como em 2009 o PIB registrou retração de 0,2% em função da crise internacional, em 2011 seria considerada apenas a inflação como base para o reajuste. Já em 2010 o crescimento estimado para o PIB é de cerca de 7%, o que provocaria em 2012 um grande aumento.

E de acordo com matéria do Jornal FOLHA DE SÃO PAULO, a presidente estuda a possibilidade de antecipar parte do reajuste de 2012 para o próximo ano como forma de equilibrar estes reajustes.

Por Mauro Câmara



Dilma Rousseff – Alteração na Metodologia do Reajuste do Salário Mínimo


Após obter mais de 55 milhões de votos no segundo turno da eleição presidencial, Dilma Rousseff afirmou na última quarta-feira, 3 de novembro, que está apreciando a possibilidade de alterar a metodologia de reajuste do salário mínimo.

Caso as pretensões da petista sejam vistas e acatadas, é bem provável que o novo valor possa sofrer aumento considerável, pois o sistema em vigência considera variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois antes anteriores, somado, portanto, à inflação acumulada em um ano.

O impasse para 2011, caso o sistema atual vigore, é que a soma de todas as riquezas e bens produzidos no país (PIB) sofreu queda de 0,2% em 2009 em virtude dos efeitos da crise financeira global.

O PIB de 2010, de acordo com estimativas, poderá alcançar o índice de 7,5%. Em entrevista a jornalistas, de acordo com a agência de notícias Reuters, a ex-ministra-chefe da Casa Civil prevê que em 2014 o mínimo poderá ultrapassar o limiar de R$ 700.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Salário Mínimo – Propostas de Reajuste para 2011


Durante a corrida pela sucessão presidencial, José Serra, candidato do PSDB, tem prometido à nação brasileira salário mínimo de R$ 600 já a partir do ano que vem. Carlos Lupi, ministro do Trabalho e Emprego, e Luiz Inácio Lula da Silva, por exemplo, alegam não ser possível o intento, pois a definição para o valor teria de acontecer ainda em 2010.

Na semana que vem, mais exatamente de 1º de novembro em diante, as diretrizes para a elevação dos atuais R$ 510 começarão a ser encabeçadas. Gim Argello (PTB-DF), senador e relator-geral da proposta de Orçamento da União, examinará se o mínimo será incrementado para R$ 538, como rege a proposta do atual governo, ou para R$ 560, como almejam as centrais sindicais.

Informações emitidas pela Agência Estado, de acordo com a Band Online, asseveram que isso dependerá do relatório de receitas que será encaminhado ao relator. Para Argello, se tudo transcorrer bem e se for possível, o salário mínimo poderá, sim, ser compreendido em R$ 560.

O senador avalia que o documento preliminar poderá ser entregue em 5 de novembro para que finalmente, a partir do dia 8 do mês que vem, sejam realizadas as devidas emendas parlamentares.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Reajuste do Salário Mínimo – Propostas de José Serra


A corrida presidencial do 2º turno agrega promessas de Dilma Rousseff (PT), ex-ministra-chefe da Casa Civil, e de José Serra (PSDB), ex-governador de São Paulo. Nos dois últimos domingos ambos voltaram a apresentar suas propostas em cadeia nacional, no mesmo instante em que destilavam trocas de acusações, especulações e feitos anteriores.

O candidato tucano, já há várias semanas, inseriu durante as propagandas político-partidárias a promessa de elevar o salário mínimo dos atuais R$ 510 para R$ 600 já em 2011. Serra assegura ter feito todos os cálculos e que o reajuste à população é totalmente possível.

Carlos Lupi, ministro do Trabalho e Emprego, decidiu intervir no discurso do peessedebista. Segundo ele, cabe somente ao Congresso e ao governo em vigência, ou seja, o de Luiz Inácio Lula da Silva, estabelecerem o valor do mínimo para 2011.

Pelas regras atuais, assegura Lupi, o montante almejado por Serra só poderia ser conseguido em 2012, mais exatamente no valor de R$ 606,98; para o ano que vem, avalia em reportagem veiculada pelo portal de Economia Terra, bem abaixo: R$ 538,15.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Reajuste Salarial – Metalúrgicos – Mercedes-Benz


As várias alas trabalhistas brasileiras têm aproveitado o cenário econômico brasileiro favorável para angariarem remunerações mais altas. Recentemente, metalúrgicos do ABC conquistaram alta em seus salários; agora foi a vez dos trabalhadores atuantes na Mercedes-Benz campinense, centro responsável pela assistência técnica de distribuição de peças e veículos.

Após 16 dias de greve, uma assembleia ocorrida na última terça-feira, 28 de setembro, convencionou reajuste salarial de 10,5% aos trabalhadores da unidade. De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas e Região, aproximadamente 800 trabalhadores estabeleceram, quase como um adendo, piso salarial de R$ 1.440,00.

A convenção, conforme já mencionado anteriormente, segue a tendência iniciada na semana passada, quando metalúrgicos da Volkswagen, Scania e Ford conseguiram reajuste de 10,8%.

A categoria parece bem posicionada no atual momento, pois inúmeras foram as séries trabalhistas que pouco conseguiram nesse sentido e em tal amplitude. O reajuste de 10,5% está bem acima da inflação, de 4,50% aproximadamente.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Reuters



Aposentados e Pensionistas – Reajuste Salarial


Uma decisão perdurou durante bom tempo no Brasil: reajuste aos aposentados e pensionistas do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) de 7,72%, conforme pleiteava, à época, o Senado. Até a definição muitas dúvidas permearam na cabeça de inúmeras lideranças políticas, tais como a do próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que delongou ao máximo a demarcação.

Agosto foi o mês ‘X’ para a questão aos aposentados que ganham acima de um salário mínimo (R$ 510), situação que gerou custo de quase R$ 899 milhões sobre o retroativo de 6,14% estipulado em janeiro. Carlos Eduardo Gabas, ministro da pasta, assevera que o montante ficou abaixo do relacionado anteriormente pelo governo, o qual estipulava ampliação de R$ 1,6 bilhão na folha do órgão.

O impacto, de fato, foi sentido somente em agosto. Aliás, no oitavo mês do ano o INSS gastou outros R$ 1,8 bilhão com o adiantamento à primeira parcela do 13º salário de aproximados 19 milhões de aposentados com benefícios mensais de um salário mínimo.

Segundo o portal de notícias G1, outro aumento à folha do INSS acontecerá ainda neste mês, correspondente ao adiantamento para os beneficiários com remuneração acima de um salário mínimo.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Reajuste Salarial – Metalúrgicos – GM


A confiança dos empresários e consumidores surte positiva e consideravelmente importante à própria economia brasileira. O aumento da massa salarial, termo em evidência na atualidade, e a geração de empregos têm propiciado índices interessantes ao país, permitindo às empresas estrangeiras apostar em bons resultados por aqui.

Enquanto o movimento geral permanece nesse sentido, vários são os setores que de uma maneira ou outra se valem da ampliação do Produto Interno Bruto (PIB). De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, os metalúrgicos da montadora da General Motors, na cidade, conquistaram no início desta semana reajuste salarial de 9%.

Destilado em duas partes, 4,52% são referentes ao aumento salarial e outros 4,29% ao reajuste pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Pelo acordo, divulgado pelo portal Economia Terra, há previsão de abono de R$ 2,2 mil.

A conquista deste ano é superior à campanha salarial de 2009, a qual reteve somente 3,7% de aumento real aos trabalhadores da fábrica, então situada no interior de São Paulo.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Categorias Profissionais recebem Reajuste Salarial acima da Inflação – 2010


Segundo balanço efetuado pelo Sistema de Acompanhamento de Salários (SAS) e divulgado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) nesta quinta-feira, 26 de agosto de 2010, das 290 categorias profissionais existentes no país, 97% delas tiveram seus salários reajustados neste primeiro semestre de 2010 com valores iguais ou acima da inflação verificada pelo INPC, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os resultados melhores obtidos neste ano refletem, segundo do Dieese, uma melhora na situação econômica do país, mostrando uma negociação coletiva em sintonia com uma maior estabilidade financeira, onde há menos desemprego, maiores contratações formais de trabalhadores e melhor salário mínimo oficial.

Por Elizabeth Preático

Fontes: Band, O Globo



Reajuste do Salário – Senador Tião Vianna faz Proposta de Aumento


O  senador Tião Vianna (PT-AC) apresentou a proposta no relatório da Lei de Diretrizes Orçamentarias (LDO) para 2011. Na conta de Vianna, o trabalhador pode receber um aumento real de 2,47% no seu vencimento.

Mas Paulo Bernardo, ministro do Planejamento, é reticente. Segundo ele, o governo segue trabalhando em cima da proposta anterior.  

Nesse caso o reajuste é calculado com base no crescimento da economia nacional (de 2 anos atrás, no caso 2009 )mais a inflação medida pelo INPC (Índice Nacional De Preços Ao Consumidor). Sendo assim o salário não teria ganho real pois o PIB de 2009 foi afetado pela crise econômica mundial.

A decisão sobre qual será o aumento do mínimo para 2011 cabe ao presidente da Republica, Luiz Inácio Lula da Silva.

Por Vinícius Soares



Reajuste nas Contas de Luz de MG e RJ


O setor elétrico do país movimenta notícias diárias entre a grande imprensa devido à Usina de Belo Monte e toda polêmica que a cerceia, bem como pelas informações de ressarcimento, por parte das fornecedoras, aos consumidores em virtude de apagões ocorridos nos últimos meses.

Em 15 de junho, terça-feira, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) sancionou o reajuste de tarifas anuais da Energisa Minas Geras S/A, da Energisa Nova Friburgo S/A e da Companhia Força e Luz Cataguazes Leopoldina S/A. Ambas são responsáveis pelo fornecimento de luz, por assim dizer, a 466 mil unidades consumidoras de Minas Gerais, Nova Friburgo e Rio de Janeiro.

À Energisa MG, o reajuste estipulado será de 8,29% a domicílios e outros 9,07% às indústrias. À Energisa Nova Friburgo, será repassado ascensão de 1,02%, em média, aos consumidores estabelecidos em residências, enquanto ao setor industrial, 2,39%.

Segundo o portal de notícias G1, as tarifas começarão a vigorar na próxima sexta-feira, 18 de junho, ocasião na qual as informações serão publicadas no Diário Oficial da União.

Fonte G1

Por Luiz Felipe T. Erdei



Reajuste Aposentadoria – Lula ainda não decidiu sobre Aumento para Aposentados


O reajuste de 7,7% aos aposentados com benefícios superiores a um salário mínimo (R$ 510) foi aprovado, há alguns dias, pelo Congresso. Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil, está inclinado a sancionar o aumento, uma vez que o fim do fator previdenciário já foi vetado e que uma dupla situação poderia comprometer sua imagem, relacionada, então, à pré-campanha de Dilma Rousseff (PT), ex-ministra da Casa Civil, à presidência da República.

Paulo Bernardo, ministro do Planejamento, acredita ser bem possível o reajuste anterior de 6,14% aos aposentados, uma vez que esse índice representa a inflação e outros 2,5% de ganhos reais. Até o momento, conforme menção feita durante reportagem do portal de economia do Estadão, o político não sabe dizer se Lula vetará, ou não, o aumento. Dia 15 próximo é a data limite para o presidente decidir.

O governo brasileiro deve ponderar amplamente essa questão, embora aumentos aos políticos em termos causem impactos parecidos nos cofres públicos – e disso eles não abstêm. A população também tem de estar atenta para tudo aquilo que é veiculado em torno de gastos na concessão de uma possível aprovação de 7,7% de aumento. No final, o acréscimo é simplesmente ilusório, pois tudo pode retornar em impostos.

Fonte Estadão

Por Luiz Felipe T. Erdei



Reajuste Aposentadoria – Lula pode aprovar Aumento para Aposentados e Pensionistas


Infindáveis dias foram necessários para o estabelecimento do reajuste de 7,72% aos aposentados que ganham mais de um salário mínimo por mês. Guido Mantega, ministro da Fazenda, sugeriu em várias ocasiões a Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil, vetar o intento e manter o percentual anterior de 6,14%.

Em uma medida mais cautelosa devido a um veto anterior, o presidente do país está inclinado a acatar a decisão votada – em favor – pelo Congresso na semana passada. Carlos Lupi, ministro do Trabalho e Emprego, e Carlos Eduardo Gabas, ministro da Previdência, mostraram seu contentamento com a decisão de Lula.

Apesar de quase certo o acordo, o líder da nação ainda tem mais duas semanas, de acordo com o portal G1 de notícias, para confirmar ou coibir a intenção. Outro ministro favorável ao veto é Paulo Bernardo (Planejamento, Orçamento e Gestão).

Com a quase acertada decisão, a equipe econômica do governo Lula indica que a diferença entre o percentual de 6,14% e o novo, de 7,72%, é de R$ 1,7 bilhão a mais por ano em gastos.

Confira mais detalhes deste artigo aqui.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Lula deverá acatar reajuste de 7,7% aos aposentados


Contestado desde seu início, o reajuste de 7,7% aos aposentados que têm remuneração mensal superior a um salário mínimo finalmente foi acordado. Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil, recebeu diversas recomendações de Guido Mantega, ministro da Fazenda, para vetar o alçamento do percentual, pois as contas públicas do país poderiam apresentar desequilíbrio.

Anteriormente, de acordo com o portal de notícias G1, Lula barrou a emenda que elimina o fator previdenciário no país, mas indica, por outro lado, que o líder do país não quer se arriscar ao vetar a fixação do novo índice aos aposentados devido a dois fatores: término de seu mandato e pleito de outubro, no qual Dilma Rousseff (PT), ex-ministra da Casa Civil e pré-candidata, recebe seu integral apoio.

Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), deputado e líder da Força Sindical, afirmou que até acolhe a medida de veto ao fim do fator previdenciário, porém, quer que o presidente fixe o reajuste de 7,7% à classe de aposentados.

Se Lula vetasse, também, o projeto de reajuste, provavelmente a oposição poderia usar o episódio como bandeira para derrotar Dilma nas eleições. Realmente, se o líder do país agir desse modo, a petista poderá ter sua imagem desvencilhada à principal bandeira do PT: beneficiar a sociedade e outorgar melhores condições à população.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Lula pode Vetar Reajuste para Aposentados e Pensionistas


O Congresso votou, há alguns dias, em favor de um projeto que poderia viabilizar reajuste de 7,7% aos aposentados e pensionistas que ganham, mensalmente, mais de um salário mínimo (R$ 510), algo que tem desagradado Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil.

Em virtude de um provável aumento de R$ 30 bilhões ao INSS, Paulo Bernardo, ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, acredita que o líder do país está inclinado a vetar esse percentual e limitá-lo ao índice sugestionado anteriormente, de 6,14%.

Bernardo ressalta uma preocupação evidente de Lula em causar desajuste nas contas do país e transferir qualquer problema dessa ordem ao sucessor, independente de quem venha a ser eleito. Guido Mantega, ministro da Fazenda, indica a mesma ideia de veto ao reajuste de 7,7%, pois isso permitirá maior estabilidade orçamentária à nação.

Outro mote mencionado pelo ministro do Planejamento, de acordo com o portal de economia UOL, é fim do fator previdenciário, algo que, segundo ele, não pode ser levado adiante.

Quer ler mais informações e conferir gastos, percentuais e implicações? Acesse aqui.



Aprovado aumento de 7,7% aos aposentados


O reajuste aos aposentados teve muitos capítulos nas últimas semanas, pois Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil, e mais algumas autoridades, queriam vetar o percentual de elevação de 7,7% almejado já há algum bom tempo. Em 19 de maio, quinta-feira, o Senado, finalmente, aprovou o aumento.

O governo federal, descontente, estima que a Previdência deverá desembolsar mais de R$ 30 bilhões durante cinco anos caso o projeto convencionado seja convertido em lei. Isso se confirmará, ou não, após a análise do texto pelo presidente Lula, que conta com a opinião nesse sentido de Paulo Bernardo, ministro do Planejamento, uma vez que, segundo ele, o reajuste anterior de 6,14% já traria gasto adicional de R$ 19 bilhões na meia década citada no primeiro parágrafo.

Caberá, agora, uma análise imparcial de Lula. A sensatez, em ano eleitoral, é importantíssima. Os fatos indicam um possível veto do presidente, pois, para ele, não é porque 2010 haverá eleições que medidas eleitoreiras devem ser tomadas sem um mínimo de responsabilidade.

Vamos aguardar.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: G1.



Senado deverá manter reajuste de 7,7% aos aposentados


Os debates em torno do reajuste a aposentados continua. Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil, afirmou, há alguns dias, que pretende limitar o percentual em 6,14%, embora a Câmara dos Deputados tenha aprovado, por meio de Medida Provisória (MP), aumento de 7,7%.

Romero Jucá (PMDB-RR), líder do governo no Senado, assegura que conservará o reajuste com o percentual votado, embora admita existir duas correções a serem feitas no projeto.

Uma delas refere-se ao percentual anterior  (7%), abaixo do preterido em virtude de, durante as negociações, a troca de índices não ter sido alterada para mais na tabela. A segunda correção mencionada são mudanças na emenda que tem por finalidade acabar com o fator previdenciário, o que, segundo Jucá, não é interessante.

O portal de notícias G1 indica que se o texto da MP não for aprovado até 1º de junho, ocasião de seu vencimento, ela perderá sua eficácia e o aumento de 7,7% não será concedido.

Fonte: G1



Reajuste da Aposentadoria – Mantega concorda com veto de Lula


Polêmico desde o princípio das negociatas, o reajuste de 7,7% aos aposentados, embora votado pela Câmara dos Deputados no último dia 4, poderá ser indeferido por Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil. Convergindo com as ideias do líder do país, Guido Mantega, ministro da Fazenda, recomendou ao petista veto ao intento.

Mantega avalia, de acordo com suas experiências frente ao cargo, que a medida, caso aprovada, poderia gerar aumento considerável nos gastos públicos do país, uma vez que o reajuste de 6,14% indicado pelo governo já elevou as despensas em R$ 2 bilhões. Como forma de incentivar o presidente, a liderança do BC relacionou que nos últimos anos os aposentados já receberam aumentos razoáveis.

Em palavras refletidas pelo portal de economia UOL, com base no Valor Online, Mantega afirmou que a nação brasileira é uma das únicas no mundo que concede aumento real à classe – o que é importante –, porém, tem de haver uma demarcação para o não comprometimento do próprio país.

Na data de aprovação pela Câmara dos Deputados, outra medida acordada na ocasião foi o fim do fator previdenciário.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: UOL



Reajuste dos Aposentados – Governo poderá ser mais maleável


Por meio de discurso cauteloso, Paulo Bernardo, ministro do Planejamento, acredita que o governo brasileiro poderá adotar uma postura mais maleável em relação ao reajuste aos aposentados, caso o Legislativo opte por um índice superior a 6,14%, este, vigente desde o primeiro dia de 2010 através de Medida Provisória (MP).

O episódio mais polêmico desse assunto ocorreu quando Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do país, afirmou, caso o reajuste ultrapasse o índice fixado anteriormente, que poderia vetar qualquer decisão favorável a percentuais superiores.

Líderes do governo no Congresso pretendem reajustar aposentarias e pensões superiores a um salário mínimo em 7%, o que, segundo outros políticos, poderia comprometer a estrutura econômica do país.

Fonte: Estadão



Reajuste para Aposentados e Pensionistas – Lula poderá vetar aumento acima de 6,14%


Um tema polêmico tem suplantado as manchetes dos principais jornais impressos, virtuais e televisivos: reajuste para aposentados e pensionistas. Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil, assegurou no último dia 22, quinta-feira, que vetará um possível acerto acima do que a Previdência Social pode conceder.

Recentemente, o governo brasileiro elaborou uma Medida Provisória (MP) para efetivar reajuste de 6,14% a essa classe que ganha mais de um salário mínimo. Entretanto, parlamentares pretendem aumentar esse índice para 7% ou 7,7%, segundo veiculado pelo portal de economia Terra.

Alexandre Padilha, ministro das Relações Internacionais, assinalou durante a semana que o governo brasileiro até concorda com aumento de 7%. Com o reajuste de 6,14%, a União desembolsaria aproximadamente R$ 6,7 bilhões. Caso seja de 7%, mais de R$ 1,1 bilhão seria incluso nos gastos.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: economia.terra.com.br



Energia Elétrica – Reajuste de Tarifas em SP, MS e MG


A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), sempre comprometida em oferecer o melhor suporte aos cidadãos brasileiros, informou que os residentes nos Estados de Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e São Paulo sofrerão reajustes em suas contas elétricas.

Em São Paulo, a Aneel indica que a população localizada nos mais de 230 municípios atendidos pela Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL) se beneficiará de um arrefecimento de 5,69% na tarifa mensal. Minas Gerais, por sua vez, proporcionará uma diminuição de 1,48% aos usuários situados em 774 municípios comportados pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig).

O portal de economia Terra indica que os clientes compreendidos nos serviços oferecidos pela Empresa Energética de Mato Grosso do Sul (Enersul) terão efeito contrário, pois o reajuste em suas tarifas será para mais, estabelecido em 2,58%.

Fonte: Portal Terra

Por Luiz Felipe T. Erdei



Aposentados sem reajuste em 2011


Se acatada a Medida Provisória 475/2009 (que antevê um reajuste para o próximo ano com base na reposição da inflação de 2010), a queda do PIB brasileiro afetará os pensionistas e aposentados do INSS que ganham mais de um salário mínimo. Em 2011, os beneficiários não receberão ganho legítimo, devido ao PIB do ano passado ter recuado 0,2%.

Para que os aposentados não sejam defasados, vinte e oito emendas da Medida Provisória estão em tramitação, incluindo uma do Senador Paulo Paim.

Infelizmente, é provável que novamente os aposentados saiam perdendo, pois no nosso país, os projetos lesivos às castas de domínio monetário não costumam sair do papel. Prova disso são os constantes cortes nas verbas que deveriam ser destinadas à saúde, educação ou segurança; ironicamente os bens de que a população mais necessita para viver dignamente. Mas torçamos para que a emenda seja sancionada e altere a matéria da referida Medida Provisória.

Fonte: cobap.maquinaweb.com.br


Reajuste Aposentadoria – Governo quer rever Valor


Ainda sem conseguir o apoio da base aliada para a aprovação da medida provisória que trata do reajuste das aposentadorias acima do salário mínimo pagas pela Previdência, o governo pensa em rever os números propostos na MP enviada à câmara.

Inicialmente o governo propusera reposição da inflação do último ano (3,45%) mais ganho real em torno de 50% da variação do PIB (Produto Interno Bruto) de 2008. Esta proposta, em ano eleitoral, desagradou até mesmo a base aliada e temendo a aprovação de um aumento ainda maior, o governo agora quer negociar com a inflação e mais 80% do PIB, embora a base deseje 100% da variação do PIB.

O custo da emenda que prevê o reajuste maior (100% do PIB) seria, conforme assessores técnicos pesquisaram, de R$ 1,8 bilhão. O que alguns parlamentares da base aliada, julgam que seria um impacto viável de ser absorvido pelas contas públicas. A decisão será tomada na segunda quinzena de Abril, até lá se busca um consenso.

Fonte : globo.com/G1 – Ag. Estado



Aumento Salarial – Como pedir aumento para o seu chefe


O salário está relacionado intimamente ao padrão de vida da pessoa, portanto o ideal é ter um salário condizente com a projeção pessoal. No entanto não é fácil decidir como negociar um salário melhor.

O conselho dos especialistas é fazer uma análise de como o salário é ‘pensado’. É por produção? É por comparação? Está atrelado à metas? Averiguar de onde vem o salário ajuda-a a ter uma visão ampla se algo deve ser melhorado.

Mas e quando o salário é fixo? Primeiramente certifique-se de que é autosuficiente e faz seu trabalho em sua totalidade. Faça uma análise honestamente de sua visão em relação ao futuro da empresa e em que você está contribuindo para ele.

Depois de rever seus cálculos considerando projetos pessoais futuros, exponha ao seu superior o que você pensa sobre seu trabalho, as melhorias que podem ser feitas, suas expectativas quanto ao futuro, se lhe foram ofertadas novas propostas. Não hesite em falar no valor pretendido, pode apostar: patrão aprecia quem tem projeções pessoais.



Mensalidade Escolar mais cara em 2010 – Reajustes de até 7,54%


O famoso e tão aguardado dissídio salarial é um benefício que tão logo se mostra ilusório. No início do ano, os impostos dão cabo do restante do 13º salário. Além disso, para as pessoas que possuem filhos matriculados em escolas particulares, taxa de matrícula, 1ª mensalidade, entre outros, ocasionam alto gasto.

Em entrevista à Agência Estado, André Braz, economista da Fundação Getúlio Vargas (FGV), avalia que o reajuste nas mensalidades para este ano chegará à casa de 7%, constatado, pois, depois de uma coleta de preços dos serviços oferecidos pelo setor educacional nos primeiros dez dias de 2010.

Ao separar cada nível de ensino, constata-se que o maior reajuste deverá acontecer do 1º ao 9º ano do ensino fundamental, com média de aumento de 7,54%.

Já o ensino médio não passa distante, com ampliação estimada em 7,35%. A pré-escola, por sua vez, deve apresentar uma ascensão não tão significativa, de 6,67%. Por último aparece o ensino superior, com reajuste previsto em 4,05%.

Fonte: Agência Estado

Confira a notícia na reportagem do Jornal Nacional:

Por Luiz Felipe T. Erdei



Valor Salário Mínimo Professores 2010 – Reajuste


O Governo reajustou hoje (30 de dezembro) o valor dos salários para os Professores para o ano de 2010.

O novo mínimo para professores da rede pública teve um aumento de 7,86% e agora passará a ser de pelo menos R$1.024,67 (valor para 40 horas semanais).

O cálculo do novo salário dos professores foi realizado de acordo com o reajuste do Fundeb (tendo como base o valor de 2008).

Segundo o Ministério da Educação, a média salarial dos professores atualmente é de R$1.527,00 (aproximadamente R$600,00 a mais do que a média nacional). Apesar disso, em vários estados, o valor recebido pelos professores ainda era inferior a esta média.



Valor Seguro-Desemprego 2010 – Tabela – Como Calcular


Depois do reajuste e aumento do salário mínimo e da Aposentadoria, agora foi a vez do Seguro-Desemprego ser reajustado para 2010.

A Codefat decidiu reajustar em 9,68% o valor do seguro-desemprego. O reajuste deve valer a partir de Janeiro de 2010 e seguirá o seguinte cálculo:

– Salários até R$841,88: Deve-se Multiplicar o salário que recebia por 0,8. O resultado é o valor do benefício.

– Salários de R$841,89 até R$1.403,28: Deve-se pegar o valor do salário e Diminuir por R$841,89. O resultado obtido deve ser multiplicado por 0,5. O resultado da multiplicação deve ser somado a R$673,50. O resultado da operação é o valor a ser recebido com o benefício.

– Salários Superiores a R$1.403,28: Receberão R$954,21

Quem ainda estiver com dúvidas pode acessar aqui. Ou então ver o vídeo abaixo:



Seu Salário está defasado? Veja como anda Mercado de Trabalho


Um grande defeito da maioria dos empregados de hoje em dia é a falta de procura de vagas enquanto trabalhando normalmente em uma empresa.

Quando ficamos muito tempo em uma empresa, é comum ficarmos defasados em relação às competências, salários, responsabilidades e cargas horárias para a mesma função em empresas concorrentes.

Mesmo que a empresa atue em outro ramo, mas possui em seu quadro a mesma função, é importante ficar antenado e saber como anda o mercado.

Uma forma de saber se a remuneração é condizente com o mercado é o site www.bne.com.br/pesq_salario onde podemos pesquisar a média salarial oferecida pelas empresas de acordo com o perfil pesquisado.

Por José Alberi Fortes Junior.



Reunião para Reajustes de Aposentadorias acaba sem Decisão – Previsão de reajuste é de 2,5% em 2010


Como era previsto, a reunião voltada à concessão de reajustes reais aos aposentados e pensionistas da Previdência Social que ganham mais de um salário mínimo terminou, pois, sem uma efetiva decisão. O encontro reuniu líderes dos partidos da base aliada.

Alexandre Padilha, ministro das Relações Institucionais, divulgou a informação de que a avaliação dos líderes será debatida internamente no governo. De acordo com ele, os projetos envoltos à exploração do tão fomentado pré-sal têm, atualmente, prioridade em votações.

Padilha, conforme divulgado pela Agência Estado, não descartou a possibilidade de o governo brasileiro encaminhar ao Congresso Nacional uma Medida Provisória (MP) para acelerar o processo. Mesmo assim, fez questão de mencionar que o percentual de 2,5% de reajuste real para 2010 aos aposentados e pensionistas que ganham mais de um salário mínimo já está definido.

Infelizmente, o discurso do momento para este problema é de que o governo já alcançou seu limite do responsável; não poderá, então, tomar iniciativas que possam impactar os cofres públicos. Talvez, uma boa quantia para as campanhas eleitorais do ano que vem tenham contribuído para o alcance desse “limite”, certo?

Por Luiz Felipe T. Erdei



Medidas Provisórias concedem Reajuste de 6,3% nas Aposentadorias


As Medidas Provisórias (MPs) são o meio mais fácil de obter tempo e trazer à tona propostas que precisam, urgentemente, entrar em vigor. Para tanto, o governo brasileiro começou seus estudos a fim de resolver o impasse criado em relação ao reajuste das aposentadorias.

De acordo com a MP voltada a esse tema, a partir de 1º de janeiro de 2010, aproximadamente 6,3% de reajuste para essa faixa de benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) poderão ser concedidos.

A proposta de reajuste das aposentadorias foi materializada em um texto elaborado pelo deputado Pepe Vargas, um dos negociadores do Governo com as entidades representativas dos aposentados e com as centrais sindicais, em troca da remoção da lista de votação dos projetos de interesse dos aposentados.

Por Luiz Felipe T. Erdei



José Alencar pede cautela no Reajuste de Aposentadoria


Luiz Inácio Lula da Silva, presidente brasileiro, atualmente está em Londres para tratar assuntos de interesse nacional. Por isso, José Alencar, que passou a representá-lo dentro de nossas fronteiras, articulou, na tarde do dia 5 de novembro, que o parecer de ampliar a todos os previdenciários o reajuste do salário mínimo, já em debate na Câmara, deve levar em consideração o equilíbrio orçamentário. Para ele, seria irresponsável outorgar um aumento sem, antes, fazer balancetes.

Mesmo com esse discurso que, com certeza, não agrada a muitos, Alencar afirma que tudo o que puder ser executado em favor dessas pessoas deve, com certeza, obter uma efetivação. No entanto, o déficit previdenciário, ressalta, provoca insegurança a todos os aposentados.

Atrelado a este assunto, Alencar foi questionado quanto ao esquema do “mensaleiro mineiro”. Para isso, o vice-presidente diz aguardar um julgamento justo, pois sempre foi a favor de investigações austeras.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Greve Bancária e os impactos sobre a população brasileira


Sempre que questionamos greves surgem argumentos que são favoráveis e contras, portanto para que se possa tomar uma posição de apoio ou desfavorável, é preciso verificar o quanto o movimento impacta o dia-a-dia da população.

Todos que precisam dos serviços bancários, correntistas ou não, sofrem com a greve, que por muitos são criticadas. O salário e as reivindicações, para a maioria da população, demonstra apenas um sentimento de individualismo dos bancários.

Eles já possuem remuneração e benefícios acima do mercado, e carga de trabalho, normalmente, de 6 horas. Mas, independentemente das razões, o direito de um vai até onde interfere no direito do outro, ou seja, o correntista tem as taxas cobradas mas não pode usar os serviços em épocas de greve.

Por José Alberi Fortes Junior



Reajuste da Aposentadoria – Mudanças nas Regras


O Governo Federal e os Sindicalistas fecharam um acordo para o reajuste do benefícios dos aposentados e pensionistas que ganham mais do que um salário mínimo.

Os aposentados terão um reajuste de 6%, que passa a valer a partir de janeiro de 2010.

Além do reajuste, o acordo prevê algumas mudanças nas regras para se aposentar:

  • Trabalhadores que se aposentam por tempo de contribuição, 35 anos para homens e 30 para mulheres, poderão receber o valor integral ao benefício;
  • Aviso prévio e seguro-desemprego também poderão passar a valer como tempo de contribuição.

Estas medidas terão que passar ainda pelo Congresso para serem aprovadas.

Confira a reportagem exibida pelo Jornal Nacional sobre o assunto:



Aumento do Bolsa Família sairá a partir de Setembro


O Ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, informou que o reajuste do valor do Bolsa Família deverá ser pago a partir do mês de setembro.

Ainda não se sabe o valor do reajuste do benefício, que deverá ser divulgado até o dia 01 de agosto.

O Programa Bolsa Família beneficia em torno de 11 milhões de famílias brasileiras e a estimativa é que até o final do ano o Programa atinja mais de 12 milhões de famílias.