Atualizações anteriores



ICS apresentou queda em abril de 2012


A FGV (Fundação Getúlio Vargas), divulgou os dados referentes ao ICS – Índice de Confiança de Serviços, usado para avaliar a confiança no setor de serviços pelos empresários.

De acordo com o estudo, houve uma queda de 4,8% no mês de abril desse ano quando comparado a abril de 2011. A pontuação total passou para 128,8, sendo que no ano passado foi de 135,3. No mês de março a queda foi de 1%. 

Segundo a Fundação, esse desempenho fraco teve forte influência dos empresários que avaliaram o momento atual do mercado, essa é a pior taxa desde outubro de 2009. 

Com relação às expectativas dos empresários do setor houve um crescimento em abril, para a FVG esse é o resultado da melhora gradual referente à atividade econômica que vem sendo percebida pelos empresários. 

Para chegar ao resultado final do ICS, a Fundação Getúlio Vargas teve acesso às informações de 2.846 empresas, sendo que essas companhias são responsáveis por pelo menos 748 mil profissionais. O índice é divulgado mensalmente pela FVG e auxilia consultores e profissionais a medir a "saúde" do setor de serviços em todo o país.

Por Joyce Silva



FGV – ICS apresentou queda de 3% em janeiro de 2011


Informações reunidas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) revelam que o Índice de Confiança de Serviços (ICS) recuou 3% no mês passado em comparação a dezembro de 2010, passando de 132,2 pontos para 128,2 pontos. Embora essa queda tenha levado o indicador ao nível mais baixo desde outubro de 2009, o índice se mantém acima da média histórica de 123,4 pontos.

De acordo com a FGV, o arrefecimento do ICS no mês foi impulsionado pela apreciação mais negativa sobre o momento presente. O Índice da Situação Atual (ISA-S) decaiu 12,2% entre dezembro e janeiro, para 113,2 pontos, o maior tombo constatado desde o início de 2009 e o menor patamar registrado desde fevereiro do ano passado, de 110,5 pontos.

O nível de demanda atual, segundo a FGV, foi o fator mais incidente na queda do ICS, uma vez que recuou 14,6% em janeiro. O indicador que examina o grau de satisfação da demanda projetada para os próximos três meses foi aquele que contribuiu positivamente dentre os quesitos analisados, com alta de 7,2% entre dezembro  de 2010 e janeiro deste ano.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: FGV