Atualizações anteriores



IBC-BR apresentou queda em fevereiro de 2012


O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-BR), divulgado na segunda-feira (16/04), mostrou que a prévia do Produto Interno Bruto (PIB) apresentou retração de 0,23% em fevereiro. O dado já contém o ajuste sazonal e foi o pior resultado apresentado desde outubro do ano passado, quando a redução no indicador foi de 0,58% se comparado a setembro daquele ano.

No mês de janeiro, o IBC-BR também registrou queda, mas tinha sido menor, de 0,13%. O resultado, portanto, foi a segunda retração consecutiva registrada no indicador. No acumulado dos últimos 12 meses, o índice sofreu expansão de 2,05%.

Avaliando o dado sem ajuste sazonal, o IBC-BR relativo a fevereiro cresceu 1,12%. Em números absolutos, o índice passou de 140,53 pontos para 140,20 pontos, avaliando o crescimento mensal.

No ano passado, o PIB registrou alta de 2,7%. Para este ano, apesar do resultado negativo do IBC-BR em fevereiro, o Governo Federal está com a expectativa de que o PIB apresente crescimento de 3%.

O indicador foi criado com o objetivo de antecipar os resultados da economia brasileira. Por isso, avalia três setores: serviços, agropecuária e indústria.

Por Matheus Camargo

Fonte: Banco Central



IBC-BR apresentou queda em janeiro de 2012


O Banco Central (BC) divulgou na segunda-feira (26/03) o Índice de Atividade Econômica da entidade (IBC-BR), demonstrando que o caiu 0,13% em janeiro deste ano, comparando-se a dezembro de 2011. Este resultado avalia a taxa com reajuste sazonal. Sem o reajuste, a queda registrada foi de 4,49% em janeiro. Com relação ao mesmo mês do ano passado, a taxa foi 1,61% mais alta.

Com isso, o IBC-BR retraiu, passando de 140,91 pontos em dezembro do ano passado para 140,73 pontos em janeiro deste ano. No último mês de 2011, o índice já havia registrado retração de 0,57%.

O IBC-BR apresenta uma previsão de como o Produto Interno Bruto (PIB) vai se comportar durante o ano. O resultado de janeiro foi a primeira queda mensal do indicador desde outubro de 2011, quando registrou retração de 0,53% na série com ajuste.

Apesar disso, o Banco Central manteve a projeção para o crescimento do PIB. A expectativa é que a economia cresça 3% neste ano. Em 2011, o crescimento foi de 2,7%.

A expectativa positiva é impulsionada pelo resultado do trimestre encerrado em janeiro deste ano, que teve alta de 1,11% com relação aos três meses finalizados em outubro do ano passado, verificando-se a série sazonal.

Por Matheus Camargo

Fonte: Banco Central