Atualizações anteriores



Multimoeda é defendida por Mantega


Atacando direta e indiretamente a injeção de US$ 600 bilhões na economia norte-americana proveniente do banco central do país, o Federal Reserve (Fed), Guido Mantega, ministro da Fazenda brasileiro, avaliou que o sistema financeiro mundial deve ser reformulado para afastar a ideia de fundamentar-se somente no dólar.

Em sua visão, a alteração deveria acontecer para atalhar que casuais colapsos nos Estados Unidos apreendam os demais países. Acredita, de acordo com a Band Online, que o interessante seria deliberar uma nova ordem no sistema de finanças global por meio de uma conjuntura denominada multimoeda.

Ressabiado com a atitude levada adiante pelos EUA, Mantega ressaltou que o problema fica pior quando a nação mais importante adota esse tipo de política, ou seja, a famigerada guerra cambial. Mesmo assim, mostrou-se confiante com a possibilidade de a cúpula do G20 (grupo que compreende os 20 países mais desenvolvidos do planeta e emergentes) decidir algo relevante para o mundo.

Mantega acredita que o relatório final do debate do G20 abarcará o sinal de alerta de fatia da comunidade internacional sobre a iminência de desequilíbrio sobre a economia derivado da adoção de medidas distintas a partir de alguns governos.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Lula pede para países ricos seguirem exemplo do Brasil


Uma das maiores características de Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil, é o seu discurso lacônico no campo da economia, informal, mas ao mesmo tempo com efeitos capazes de arrancar tanto risos como aplausos. Antes de embarcar à Coreia do Sul para a reunião do G20 (grupos das 20 economias mais desenvolvidas do mundo), o ex-sindicalista recomendou às nações ricas tirarem algum proveito (como lição) das medidas adotadas pelo país para superar a crise financeira mundial.

Na visão de Lula, anteriormente os ricos tentavam ensinar ao Brasil como fazer para suplantar algumas crises econômicas enfrentadas de modo costumeiro na região. No entanto, agora pede que cada qual encare de maneira humilde e adote políticas idênticas às realizadas no país.

Em reportagem veiculada pelo Invertia Terra o presidente repreendeu Estados Unidos e China por apresentarem, na atualidade, moedas desvalorizadas, situação que majora a competitividade de ambas no cenário internacional. A seu ver, é necessário que o câmbio seja flutuante, ao mesmo tempo em que existam reguladores entre as políticas cambiais.

Por Luiz Felipe T. Erdei