Destaque em Financiamentos

Atualizações anteriores



Aumenta 40% número de brasileiros com dívidas acima de R$ 5 mil


A nação brasileira é, certamente, uma dentre as inúmeras do mundo que melhor se sobressaiu no período pós-crise, resultado decorrente das medidas adotadas pelo governo na finalidade de proteger seu promissor crescimento e afastar da população os abalos vistos em outros países.

Mesmo assim, alguns setores do Brasil apresentam dificuldades no atual momento, quando, de fato, constata-se o fim do período crítico. As novas dificuldades, nem tão graves, estão relacionadas ao otimismo da população, que passou a se endividar com mais frequência, principalmente após os períodos festivos, dentre eles o Natal do ano passado, a Páscoa e o Dia das Mães deste ano.

Informações divulgadas pelo UOL indicam que a retomada do crédito depois da ocasião mencionada anteriormente fez  com que crescesse em 40% o número de brasileiros com dívidas superiores a R$ 5 mil. Outro ponto assinalado pelo artigo avalia que aproximadamente 20% dos residentes do país com mais de 16 anos possuem dívidas equivalentes a, no mínimo, quatro vezes a renda média por mês em todo o Brasil.

Mesmo assim, o Banco Central, órgão que emitiu as informações, aponta que a capacidade de os brasileiros efetuarem seus pagamentos ascendeu ligeiramente.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: UOL.



Financiamento Imobiliário – Plano Zero Goldfarb


O começo do ano, como todos sabem, é complicado no sentido financeiro. Impostos como IPTU, IPVA, matrícula em escolas particulares e parcelas adquiridas em dezembro tornam o sonho de muitas pessoas pretensiosas em adquirir imóveis um verdadeiro pesadelo.

Em vista disso, a Goldfarb, na finalidade de estimular as vendas e possibilitar as pessoas a conquistarem residência própria, acaba de lançar o Plano Zero.

Aos que assumirem um imóvel da construtora, em Campinas, até 7 de fevereiro, começarão a pagar o financiamento da moradia apenas no meio do ano. Além disso, fogão, geladeira e micro-ondas serão oferecidos como outra forma de estímulo.

Os imóveis oferecidos pela construtora sob o Plano Zero são o Spazio Proença, o Residencial Allegria, o Torres de Bonfim e o Aquarelle Residence, todos localizados em pontos de fácil acesso.

Aos que residem em Campinas podem aproveitar. Quem sabe, futuramente, o Plano Zero da Goldfarb não se estende às demais regiões do país? Assim, o setor da construção civil crescerá ainda mais e não permanecerá estagnado nas condições já oferecidas pelo mercado e nos jogos esportivos entre os anos de 2014 e 2016.

Por Luiz Felipe T. Erdei



BNDES concede Financiamento a Sabesp


A Sabesp recebeu um grande reforço do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O órgão aprovou um financiamento de R$ 826 milhões à Companhia de Saneamento Básico, destinado, sobretudo, ao programa de investimentos para o período compreendido entre 2009 e 2011.

Os recursos serão divididos em três séries. O primeiro já foi fornecido, em 15 de dezembro de 2009, no valor de R$ 257,37 milhões. As outras duas, de mesmo valor, serão realizadas neste ano e em 2011.

Com isso, a Sabesp ampliará o sistema de abastecimento de água e coleta de esgoto em obras destinadas aos sistemas localizados no Rio Grande, no Litoral Norte e no Vale do Paraíba e da Mantiqueira.

Outros dados detalhados podem ser observados aqui.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Financiamento de Materiais de Construção – Caixa libera Crédito


O setor de materiais de construção conquistou um importante avanço. A Caixa Econômica Federal lançou uma linha de crédito de R$ 1 bilhão voltada à aquisição de materiais de construção em lojas de varejo, com prazo de financiamento de até 24 meses.

O valor máximo estipulado é de R$ 10 mil, que dependerá do acordo estabelecido entre a Caixa Econômica e os lojistas. De acordo com a instituição, caso haja demanda nesse novo negócio, os recursos poderão sofrer uma ampliação em mais de R$ 1 bilhão.

Com base no desenvolvimento preterido por essa medida, Claudio Elias Conz, presidente da Associação Nacional dos Comerciantes de Construção (Anamaco), afirma que o setor poderá apresentar um maior desempenho em 2010 diante do atual ano, em aproximados 4%.

Por Luiz Felipe T. Erdei



BNDES cria linha de crédito voltado ao financiamento de investimentos


Uma concessão de uma nova linha de crédito advindo do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) foi anunciada por Guido Mantega, ministro da Fazenda. De acordo com reportagem proferida pela Agência Estado, esse intento é voltado ao financiamento de investimentos e do desenvolvimento produtivo para os próximos anos, num valor que chega a aproximados R$ 80 bilhões.

O montante, então, será bancado pela Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), voltado, sobretudo, aos setores de ciência e tecnologia, inovação, exportações, bens de capital e infra-estrutura.

Além dessa notícia, o ministro apregoou a equalização da taxa de juros por parte do Tesouro, do último dia deste ano para até o final do terceiro mês de 2010. Isso se deve, em primeira instância, aos financiamentos do BNDES para a obtenção de bens de capital, inovação tecnológica e exportação.

Conheça mais detalhes desta matéria em aqui.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Financiamento Imobiliário pela Caixa Econômica cresce 93%


Até o último dia de novembro, pouco mais de R$ 39 bilhões foram concedidos pela Caixa Econômica Federal em financiamentos imobiliários. Estimativas dão conta de que o valor suplanta em 93% o percentual registrado no mesmo período de 2008.

A Caixa garante que quase 757 mil famílias foram acatadas, 42% delas com renda estimada em até cinco salários mínimos. De acordo com a instituição, a média de financiamento habitacional é de R$ 69 mil por meio do banco.

Mais de 2,7 mil propostas de financiamento de empreendimentos ligados ao programa “Minha Casa, Minha Vida” foram recebidas pela Caixa Econômica até o dia 30 de novembro. Além disso, 322 mil são voltadas a pessoas com renda de até três salários mínimos mensais, 138 mil para indivíduos de três a seis salários mínimos e quase 107 mil para cidadãos que recebem entre seis e dez salários mínimos.

Por Luiz Felipe T. Erdei



BNDES aumenta equipe para continuar o atendimento de 1.500 pedidos de créditos diários


A fim de continuar a aprovação diária de 1.500 operações de crédito do Finame por meio do plano de financiamento a juros reduzidos, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) arquitetou um projeto de contingência com equipes extras.

O Finame, que é uma linha exclusiva para obtenção de equipamentos e máquinas, teve seu perfil invertido devido a incentivos oferecidos pelo governo, principalmente em relação ao Programa de Sustentação do Investimento (PSI). Em seu início, esse estímulo cerceava a compra de caminhões e ônibus, mas agora é enfocado à obtenção de máquinas para a agricultura, indústria e construção.

O Programa de Sustentação do Investimento foi germinado para proporcionar financiamentos com taxas de juros inferiores às praticadas pelo Finame. Por isso, aproximadamente 90% desse tipo de empréstimo foi utilizado através dos benefícios do PSI.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Financiamento da Casa Própria com o FGTS – Como Fazer


A Caixa Econômica Federal oferece diversas modalidades de financiamento imobiliário, entre as opções, a possibilidade de utilizar o seu FGTS para financiar a aquisição da casa própria. Para tanto é necessário que o trabalhador, além de não ser proprietário de imóvel, tenha idoneidade cadastral e capacidade de pagamento.

Os interessados devem procurar uma agência da CAIXA com a documentação necessária e entregá-los para que seja feito o cadastro e a avaliação das condições de financiamento: o valor total e o prazo para a amortização. Depois de aceito o contrato, a CAIXA paga ao vendedor do imóvel e se inicia o processo de amortização.

Nos dois primeiros anos, a parcela do encargo referente à amortização, seguros e taxas de administração é recalculada a cada 12 meses, enquanto à referente aos juros é recalculada mensalmente. O encargo mensal não pode ser superior a 30% da renda familiar bruta no mês.

Para fazer uma simulação de um financiamento, visite o site para habitação da Caixa Econômica Federal: http://www.caixa.gov.br/habitacao/index.asp

Por Caio Kruse de Morais



Programa “Minha Casa, Minha Vida” registra vendas abaixo do esperado


Dados divulgados pela Caixa Econômica Federal apontam que quase 46 mil casas do programa “Minha Casa, Minha Vida” foram vendidas em seis meses, no país. O total comercializado, até o momento, representa menos de 5% da meta de 1 milhão de moradias previstas pelo governo.

A Caixa ilustrou que desde 14 de abril, início do programa, até a última sexta-feira, mais de 95 mil moradias foram contratadas, o que denota que essas habitações já possuem aval do governo federal para serem comercializadas dentro do “Minha Casa, Minha Vida”.

Para Sergio Watanabe, presidente do Sindicato da Indústria da Construção do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP), os resultados apresentados até a atual ocasião são relativamente baixos. No entanto, acredita que as vendas devem apresentar uma aceleração deste momento em diante.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Cadastro Positivo: você é bom pagador? Então poderá pagar menos juros!


Você é bom pagador? Então você poderá em breve solicitar que seu nome seja incluído no Cadastro Positivo.

Trata-se de uma lista de cidadãos que pagam suas contas com destreza, e que não são devedores usuais. Se de um lado existem sistemas de proteção ao crédito (SPC, Serasa, etc.), de outro, a Câmara dos Deputados está se movimentando para que se crie o sistema de Cadastro Positivo (CP), ou o Cadastro de Bons Pagadores (CBP).

Tendo em vista que normalmente os inadimplentes que tornam os juros elevados (devido ao risco), é justo que os que pagam as contas em dia possua algum tipo de benefício.

O projeto não prevê fiscalização específica, e dessa forma, é necessário que o próprio consumidor se manifeste para que seja incluído no cadastro dos “bons pagadores”.



Fique de olho nas taxas de juros e evite cair nas armadilhas da compra a prazo


O valor do juros no Brasil ainda é muito alto, por isso o consumidor deve ficar de olho na hora de comprar algo financiado ou parcelado.

Com os juros altos, o consumidor pode se endividar ainda mais. Para não acumular dívidas não ficar no prejuízo, fique de olho nas taxas de juros dos produtos. Comprar algo parcelado pode duplicar o valor do produto.

O ideal é economizar para tentar comprar o produto à vista, pois, além de conseguir mais descontos, você evitará cair nas armadilhas dos juros. Financiamentos e compras parceladas só devem ser feitas com juros zero. 

Assista esta reportagem do Jornal Hoje sobre o assunto:



Minha Casa, Minha vida – Programa habitacional ajuda famílias que recebem até dez salários mínimos a adquirirem sua casa própria


Começa a operar o novo Programa de Habitação do Governo Federal chamado “Minha Casa, Minha Vida“, para a construção de até 1 milhão de moradias nos próximos anos. O Pacote pretende auxiliar famílias que possuem renda de até 10 salários mínimos a adquirirem um imóvel.

Os interesados que possuem renda familiar de até três salários mínimos poderão efetuar o cadastro nas Prefeituras dos Municípios e nos Governos do Estados, em locais a serem divulgados. A parcela mínima para adquirir uma imóvel será de R$ 50 em dez anos.

Quem recebe de 4 a 10 salários mínimos poderá fazer a simulação do financiamento no site da Caixa, ou procurar uma agência para obter mais informações. Após escolher o imóvel que pretende adquirir, o interessado realiza o financiamento em uma Agência da Caixa.

Na região metropolitana de São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal, o valor máximo do imóvel a ser adquirido é de R$ 130mil. Municípios com mais de 500 mil habiatantes e demais capitais, o financiamento não poderá utlrapassar R$ 100 mil. Para os demais municípios do Brasil, o valor máximo para a aqusição do imóvel é de R$ 80 mil.

Para mais informações acesse www.caixa.gov.br/habitacao.

Veja a entrevista do Presidente Lula sobre o novo Programa Habitacional:



Agora é mais fácil conseguir financiamento para reformar e construir


Agora está mais fácil conseguir financiamento para reformar ou construir a sua casa através da Caixa Econômica Federal.

Existem dois tipos de finaciamentos para a reforma e construção. Um para quem ganha mais do que R$1.900, onde o limite de financiamnto é de acordo com a renda e os juros sào de 20% ao ano.

Outro financiamento é para pessoas que possuem renda familiar de até R$1.875, neste caso, o limite, que antes era de 7 mil reais, passou a ser de R$ 25 mil. Antes, o prazo para pagar o financiamento era de 96 meses e agora passou a ser de 120 meses.

Para conseguir o empréstimo, não precisa mais de garantia ou de fiador, pois este tipo de financiamento utiliza os recursos do fundo de garantia com juros de 5% ao ano.

Outra novidade é que além dos materiais tradicionais para reforma e construção, o cliente poderá comprar móveis embutidos para a casa com o dinehiro do financiamento e, 15% do total do finaciamento pode ser utilizado para pagar mão-de-obra.

São 40 mil empresas conveniadas no Brasil que aceitam o cartão de finaciamento da Caixa.