Atualizações anteriores



Aumento da expectativa de vida muda cálculo do fator previdenciário


O IBGE divulgou, nesta sexta-feira – dia 30 de novembro de 2012 – o aumento da expectativa de vida dos brasileiros que tendem a viver 74 anos e 29 dias, sendo este tempo 4 meses maior do que a última estimativa feita pelo instituto.

Este indicador mostra que a qualidade de vida está aumentando no país e todos tendem a ganhar com isso, certo? Todos menos os cofres da Previdência Social.

E por isso começou a valer a partir do dia 03 de dezembro de 2012 o novo cálculo do fator previdenciário para a concessão de aposentadoria.

O objetivo desta mudança é evitar aposentadorias precoces que podem causar um grande rombo nas contas da previdência no Brasil.

Por isso, a partir de agora aqueles que se aposentarem com idade entre 45 e 48 anos terão um benefício menor já que esta faixa etária teve um aumento na expectativa de vida, os trabalhadores com idade entre 55 e 65 anos terão um benefício maior, pois houve uma redução na expectativa de vida nestas idades.



Reajuste da Aposentadoria – Mantega concorda com veto de Lula


Polêmico desde o princípio das negociatas, o reajuste de 7,7% aos aposentados, embora votado pela Câmara dos Deputados no último dia 4, poderá ser indeferido por Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil. Convergindo com as ideias do líder do país, Guido Mantega, ministro da Fazenda, recomendou ao petista veto ao intento.

Mantega avalia, de acordo com suas experiências frente ao cargo, que a medida, caso aprovada, poderia gerar aumento considerável nos gastos públicos do país, uma vez que o reajuste de 6,14% indicado pelo governo já elevou as despensas em R$ 2 bilhões. Como forma de incentivar o presidente, a liderança do BC relacionou que nos últimos anos os aposentados já receberam aumentos razoáveis.

Em palavras refletidas pelo portal de economia UOL, com base no Valor Online, Mantega afirmou que a nação brasileira é uma das únicas no mundo que concede aumento real à classe – o que é importante –, porém, tem de haver uma demarcação para o não comprometimento do próprio país.

Na data de aprovação pela Câmara dos Deputados, outra medida acordada na ocasião foi o fim do fator previdenciário.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: UOL



Lula poderá vetar aumento de 7,7% aos aposentados


Durante muito tempo a imprensa nacional noticia informações relevantes e pertinentes ao reajuste a aposentados. O governo brasileiro, liderado por Luiz Inácio Lula da Silva, tencionava limitar o aumento em até 6,14% à classe, porém, em 4 de abril, terça-feira, a Câmara dos Deputados aprovou índice de 7,7%, bem acima da intenção do presidente.

Em Buenos Aires, onde recebeu a informação, Lula foi enfático e afirmou que vetará todo o texto, uma vez que, segundo ele, não existe eleição que o faça acatar um percentual altíssimo. Em reportagem divulgada pelo portal dinheiro do Folha UOL, o presidente quer, também, dar fim ao fator previdenciário.

Cândido Vaccarezza (PT-SP), líder do governo na Câmara, avalia que Lula, mesmo que acatasse ao aumento – permitindo, assim, melhor recepção dos aposentados em relação a Dilma Rousseff (PT) e sua pré-candidatura à presidência da República –, não quer, de maneira alguma, tomar medidas eleitoreiras que acarretem prejuízos ao país.

Portanto, o veto deverá vir com toda a certeza se depender do líder do Brasil.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Folha Uol



Regra do fator previdenciário – decreto 7.126/2010


decreto 7.126/2010 firmado pela Previdência Social que altera a regra do fator previdenciário está deixando muitos empresários satisfeitos.

Isto porque empresas que tiveram impugnações declaradas como improcedentes, poderão apresentar recurso, o que não acontecia anteriormente. Atribuído pelo MPS, o FAP pode ser contestado no Departamento de Políticas de Saúde e Segurança Ocupacional da Secretaria Políticas de Previdência Social, sendo válido somente para empresas que que já apresentaram recurso, representando um montante de 7.000 ações.

O resultado do julgamento das contestações será divulgado no portal do Ministério, que terá acesso restrito somente aos que tiverem posse de senha.  As empresas optantes do Simples Nacional estão isentas do pagamento do seguro acidente.

Fonte: DCI