Atualizações anteriores



Pesquisa FGV – Economia Informal do Brasil produz riqueza igual a Argentina


A economia brasileira passa por um momento interessante devido ao aumento da renda da população, da ampliação no número de empregos gerados no primeiro semestre deste ano e o anúncio de investimentos da ala empresarial nacional e estrangeira. Embora a contabilização utilize dados oficiais, existem outros, de cunho informal, que também foram somados.

Estudo divulgado em conjunto entre o Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (Etco) e a Fundação Getúlio Vargas (FGV) revelou movimentação aproximada de R$ 580 milhões a partir da economia dita informal no ano passado, análoga a 18,4% do Produto Interno Bruto (PIB) e igual as somas das riquezas relacionadas pela Argentina.

Reportagem vinculada pela Folha UOL inventariou que esse tipo de modalidade, denominada economia subterrânea, apresenta crescimento desde 2003, ocasião na qual teve início o primeiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva.

Apesar do levantamento indicar crescimento na informalidade, os especialistas da FGV e da Etco diagnosticaram que o aumento deve-se a base superior do PIB, pois as somas movimentadas pela economia subterrânea não tiveram alterações consideráveis – e a renda da população também teve elevação.

Fernando de Holanda Barbosa Filho, pesquisador do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), assevera como fato motivador o crescimento pela  busca de crédito da população.

Por Luiz Felipe T. Erdei