Atualizações anteriores



Dívida Pública Federal apresentou crescimento em março de 2012


De acordo com dados divulgados na segunda-feira (23/04) pela Secretaria do Tesouro Nacional, a Dívida Pública Federal Brasileira atingiu o patamar de R$ 1,85 trilhão em março, crescimento de 1,08% se comparado ao mês imediatamente anterior. A dívida pública federal soma os endividamentos interno e externo.

Ainda segundo os dados, a dívida interna foi 0,89% superior em fevereiro, aumentando para R$ 1,77 trilhão, perante R$ 1,76 trilhão de fevereiro. A dívida externa, por sua vez, teve alta de 5,51% em março, chegando a R$ 80,03 bilhões no período analisado. Em fevereiro, a dívida externa era de R$ 75,85 bilhões.

O mesmo estudo apontou que a participação de títulos públicos corrigidos pela Selic na dívida do governo sofreu queda em março, ficando em 26,34%. Em fevereiro, a participação registrada foi de 27,84%. O valor alcançado em março deste ano foi o menor desde 2007.

Já a participação de papéis pré-fixados chegou a R$ 689 bilhões no mês analisado, sendo que, em fevereiro, estava em R$ 663 bilhões. O aumento foi de 1,1 ponto percentual, passando de 37,7% para 38,8% do total da dívida pública federal.

A dívida pública mede o valor que o Brasil deve para outros países, entidades nacionais e internacionais e também para a sociedade.

Por Matheus Camargo

Fonte: Secretaria do Tesouro Nacional



Dívida Pública Federal apresentou alta em fevereiro de 2012


Dados da Secretaria do Tesouro Nacional divulgados na quinta-feira (22/03) demonstraram que a dívida pública federal teve alta de 1,94% em fevereiro se comparado a janeiro, totalizando R$ 1,83 trilhão. Ela inclui tanto os endividamentos interno e externo do Governo Federal.

Em relação ao endividamento interno, a alta foi de 2,08% em fevereiro, somando R$ 1,76 trilhão. Em janeiro, o resultado tinha sido de R$ 1,72 trilhão. Já a dívida externa sofreu queda de 1,23%, chegando a R$ 75,9 bilhões no mês avaliado. Já em janeiro, o resultado era de R$ 76,9 bilhões. Vale lembrar que a dívida externa é composta pelas emissões de bônus nacionais, originários do Tesouro, diretamente no mercado de todo o mundo.

O resultado indica que o governo do Brasil está devendo mais para outros governos, sociedades e instituições internacionais ou nacionais. A dívida pública federal é composta tanto pela dívida em posse de credores nacionais quanto em posse de credores internacionais. No entanto, parte desta dívida está na posse de investidores – é a conhecida dívida mobiliária.

Basicamente, os títulos do Brasil estão atrelados à inflação e também à taxa Selic.

Por Matheus Camargo

Fonte: Secretaria do Tesouro Nacional