Atualizações anteriores



Procon (SP) – Preços de medicamentos genéricos variam em até 986,95%


Sempre que uma doença aparece se faz necessário o uso de medicamentos prescritos por profissionais do setor da saúde. Deste modo, o consumidor geral corre imediatamente para farmácias e drogarias no intuito de adquirir o remédio. Muita atenção por aqui, pois nem sempre o primeiro estabelecimento apresenta os melhores preços.

Estudo divulgado pela Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-SP) assinala enorme diferença de custos entre os medicamentos genéricos, dessemelhança que, por sinal, pode chegar a 986,95%. Isso mesmo!

O campeão dessa disparidade foi encontrado, de acordo com o levantamento, no Diclofenaco Sódico de 50 miligramas com 20 comprimidos. Enquanto num local o valor nem chegou a um real, mais precisamente R$ 0,92%, em outro foi encontrado por R$ 10.

A distinção de valores não foi tão elevada se destacados os medicamentos de referência. O Amoxil, ou Amoxicilina, de 500 miligramas com 21 cápsulas foi consultado em um estabelecimento e alcançou preço de R$ 20,86, mas ao percorrer um pouco mais a fundação verificou valor de R$ 49,00 em outro local, ou seja, diferença de 134,90%.

Uma dica é percorrer, quando há tempo disponível, as farmácias de sua região. Fazer um levantamento prévio, mesmo de medicamentos mais comuns que não precisam necessariamente de receitas médicas, tais como remédios para dores de cabeça, pode dar uma ideia se o preço vale o quanto é cobrado. Assim, quando um médico receitar algo o desespero é ser substituído pela razão.

Por Luiz Felipe T. Erdei