Atualizações anteriores



Greve: Metade dos servidores do Ministério do Trabalho estão executando suas atividades


Muitos brasileiros estão sendo prejudicados com a greve que se desenrola desde o último dia 06 de abril realizada pelos funcionários da área administrativa do Ministério do Trabalho. O Superior Tribunal de Justiça determinou no mês de maio que pelo menos cinqüenta por cento dos servidores estejam disponíveis para atendimento à população.

Atualmente só estão sendo oferecidos os serviços de emissão de carteira de trabalho para pessoas estrangeiras e recursos em relação ao seguro-desemprego, com distribuição de metade das senhas. Estas começam a ser entregues às cinco horas da manhã e muitas pessoas que ficam esperando na fila não conseguem ser atendidas, ficando sem poder trabalhar ou sem receber seu seguro-desemprego.

Por Elizabeth Preático

Fonte: G1



Nova Carteira de Trabalho será lançada em julho


A partir do próximo mês de julho, os trabalhadores brasileiros já poderão ter acesso à nova carteira de trabalho, segundo informou Carlos Lupi, Ministro do Trabalho e do Emprego nesta terça-feira, 18 de maio de 2010.

O novo documento terá a foto do trabalhador digitalizada, com todas as informações pessoais impressas, contendo um plástico protetor. A carteira dos brasileiros continuará sendo na cor azul e a dos estrangeiros, na cor verde.

Os primeiros a usufruírem do novo documento serão os paulistanos e a experiência inicial será feita no Centro de Atendimento ao Trabalhador (Ceat), no Vale do Anhangabaú. Com o novo sistema, a carteira deverá ficar pronta em no máximo, uma hora, o que facilitará muito a vida dos cidadãos brasileiros, que vêm reclamando até de perda de oferta de emprego em função da demora na emissão da carteira.

Por Elizabeth Preático

Fonte: R7



Mais da metade dos trabalhadores brasileiros possuem carteira de trabalho assinada


O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) relatou, no início desta semana, que mais da metade dos trabalhadores atuantes pelas empresas privadas nas metrópoles do Brasil possuem carteira de trabalhado assinada. Segundo a entidade, essa é a primeira vez que isso é assinalado em 16 anos.

Quintino Severo, secretário-geral da Confederação Única dos Trabalhadores (CUT), avalia com empolgação os resultados, pois, para ele, a maior formalização do mercado de trabalho e a melhoria dos salários apontam que o Brasil saiu rapidamente da crise. Flavio Castelo Branco, economista da Confederação Nacional da Indústria (CNI), pondera, com os resultados, que esse fator favorece o crescimento do país.

Embora os resultados sejam importantes para o governo, a informalidade ainda continua em alta. Se houvesse maiores incentivos, certamente os percentuais apregoados aumentariam. Inúmeros trabalhadores preferem ter dinheiro incerto, mas promissor, a emprego fixo, garantido e pouco rentável.

Fonte: G1

Por Luiz Felipe T. Erdei



Empregos Formais em crescimento no Brasil


Carlos Lupi, ministro do Trabalho e Emprego, Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil, bem como outras lideranças políticas parecem estar certos quanto à situação empregatícia brasileira. Recentemente, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) revelou que em janeiro deste ano, o país apresentou a criação de mais de 181 mil vagas formais de emprego, configurando, deste modo, o melhor janeiro desde 2000, ocasião na qual foi dado início à pesquisa.

Os dados são superiores aos vistos em 2008, o melhor resultado já registrado anteriormente pelo levantamento. Na ocasião, o Brasil havia criado quase 143 mil postos de trabalho. Ao todo, o saldo de vagas no primeiro mês de 2010 foi de pouco mais de 1,41 milhão de trabalhadores com registro em carteira, no mesmo instante em que 1,229 milhão de cidadãos foram demitidos.

De acordo com o Portal de Notícias G1, costumeiramente, os meses de janeiro compõem uma criação menor de vagas devido a uma menor atividade constatada nos período. O Ministério do Trabalho acredita que até o final de 2010 mais de 2 milhões de empregos formais serão gerados.

Clique aqui e leia mais sobre o assunto.

Fonte: G1

Por Luiz Felipe T. Erdei



Emprego formal no Brasil – Carteira de Trabalho Assinada


O mercado informal no Brasil ainda continua com índices bem altos, mas de acordo com novas informações divulgadas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), o percentual de brasileiros que trabalham sem registro em carteira de trabalho decresceu consideravelmente.

Segundo a instituição, um dos fatores primordiais para o crescimento do trabalho formal deve-se a Lei do Microempreendedor Individual, que entrou em funcionamento em junho de 2009. Quando foi lançada, a estimativa era de que 100 mil microempresários seriam regularizadas, no entanto, 2009 fechou com aproximadamente 110 mil, segundo o Ministério do Desenvolvimento e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Outras pesquisas avaliam que além desse quesito, o ano passado foi o primeiro em que o número de empreendedores por vocação ultrapassou aqueles que querem ter um próprio negócio simplesmente para a obtenção de seu sustento.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Carteira de Trabalho – A Segurança do Trabalhador


Segurança é uma condição que todos almejam. Estar seguro significa estar protegido das adversidades mundanas que tendem a provocar um dano na integridade física ou mental.

Por isso todos que desejam estar seguros devem procurar a seguridade, para si e para outrem. A CTPS (Carteira de Trabalho Previdência Social) é a fonte de segurança do trabalhador, nela estão contidas os elementos que dão uma garantia de sustentação ao sofrido empregado em caso de uma adversidade em sua vida.

Dentre muitos seguros, o trabalhador com carteira assinada está segurado após um ano de contribuição com a previdência social, em se tratando de impossibilidade prolongada a trabalhar.