Atualizações anteriores



Novo valor do salário mínimo – Garantia de política de ganho real aos trabalhadores


O reajuste de R$ 545, votado pelo Congresso Nacional no dia 24 de fevereiro, correspondeu às perspectivas de Dilma Rousseff, presidente do Brasil, e de Guido Mantega, ministro da Fazenda. Além deles, outras alas se mostraram totalmente convergentes ao novo valor, situação que desagradou oposição e centrais sindicais.

Sempre otimista em seus discursos, Carlos Lupi, ministro do Trabalho e Emprego, endossou a alta do mínimo para R$ 545 e o mecanismo utilizado para o reajuste. Em sua visão, o acerto assegura ao trabalhador uma política de ganho real, não apenas para 2011, mas para os próximos três anos.

A oposição, em seu direito de fiscalizar o governo, deve estar mais atenta do que nunca em relação às tramitações sobre o reajuste do salário mínimo. Nos próximos anos os índices deverão ser maiores, pois a economia brasileira apresentou expansão aproximada de 7,6% em 2010 e há previsões de crescer 4,5% em 2011.

A lei vigente utilizada para reajuste leva em consideração a média do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes mais a inflação acumulada dos últimos 12 meses.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Agência Brasil



Reajuste do Salário Mínimo – Valores para 2011 – Previsões de Carlos Lupi


Os debates para demarcar o novo reajuste do salário mínimo ao ano que vem ganham novas opiniões e ideias a cada dia. Centrais sindicais ambicionam valor de R$ 580, superior ao conjeturado pelo governo com base na fórmula de cálculo atual. Carlos Lupi, ministro do Trabalho e Emprego, decidiu embarcar, obviamente, na discussão.

Para ele, o novo mínimo (atualmente em R$ 510) para entrar em vigor já a partir de 1º de janeiro será fruto de negociações entre as centrais sindicais e o governo com partidos políticos, podendo ser estabelecido de R$ 560 a R$ 570, inferior à pretensão de R$ 600 de José Serra (PSDB), candidato derrotado no segundo turno das eleições presidenciais.

Lupi assegura que abaixo dessa estimativa não deverá ficar. Segundo o portal de notícias R7, a proposta do governo é de R$ 538, podendo, “inclusive”, ser arredondado para R$ 540.

Mantendo a cordialidade, o ministro do Trabalho considerou que Dilma Rousseff (PT), presidente eleita, deverá participar dos debates para a deliberação do novo valor do salário mínimo com o devido respeito às diretrizes atuais.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Produção de Empregos – Brasil 2010 – Previsão Carlos Lupi


Conforme previu nos últimos meses do ano passado, Carlos Lupi, ministro do Trabalho e Emprego, afirma que a nação brasileira criou mais de um milhão de postos de trabalho em 2009. Até novembro, por exemplo, 1,4 milhão de empregos formais foram registrados, mas como dezembro geralmente há uma baixa devido aos serviços temporários, ou seja, mais demissões a contratações, a estimativa foi alcançada.

Em contrapartida, para este ano Lupi crê que mais de dois milhões de empregos com carteira assinada sejam gerados. Além disso, acredita, também, que a economia nacional deverá chegar a marca de crescimento em 7%.

Lupi destaca, também, em reportagem veiculada pela Agência Estado, que o Brasil tem investido amplamente na qualificação de profissionais por meio dos programas do governo, mas que isso ainda pode melhorar muito mais e favorecer, especialmente, a economia interna.

Leia outras opiniões de Lupi aqui.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Criação de mais de 2 milhões de Empregos Formais é a estimativa de Lupi para 2010


O otimista Carlos Lupi, ministro do Trabalho e Emprego, estima que no próximo ano, 2 milhões de empregos formais, isto é, com carteira assinada, serão gerados no Brasil. Para ele, além de se extirpar a estigmatização de que o país é pequeno, o setor de serviços continuará a sustentar a criação de empregos dentro de nossas fronteiras.

O ministro mantém seu discurso em relação aos empregos formais suscitados neste ano, entre 1 milhão e 1,1 milhão. Lupi assevera, infelizmente, que dezembro é um mês em que se nota um maior número de demissões, mas que neste próximo pode ser diferente, pois um menor número de desempregados poderá ser registrado.

Carlos ressalta, assim como os demais ministros e políticos simpatizantes de Lula, que o Brasil é o único país integrante do G-20 (grupo das 20 maiores economias mundiais) a conceber mais de 1 milhão de empregos formais em 2009. Para ele, isso leva a crer que as políticas governamentais adotadas foram corretas. Para este ano, avalia, a economia brasileira deve crescer aproximadamente 2%; em 2010, o Produto Interno Bruto (PIB) pode apresentar um percentual de desenvolvimento entre 7% e 8%.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Mais de 100 mil trabalhadores receberão parcelas extras do Seguro-desemprego


O Ministro do Trabalho, Carlos Lupi, anunciou que o Governo irá ampliar o prazo para o pagamento do seguro-desemprego para até 7 parcelas

A partir do mês de abril, mais de 103 mil trabalhadores terão direito a estas parcelas extras do benefício. 

As duas parcelas a mais do seguro serão pagas a trabalhadores que foram demitidos no mês de dezembro de 2008, auge da crise econômica no Brasil, em 16 estados: AM, AP, MA, CE, PB, PE, SE, BA, MG, ES, RJ, SP, PR, SC, RS e GO, nos setores que foram mais afetados pela crise.

A medida foi tomada pois os setores fortemente atingidos pela crise ainda não conseguiram se reestabelecer e voltar aos patamares de produção anteriores à crise econômica.