Destaque em Caixa Econômica Federal

Atualizações anteriores



Reajuste correto do FGTS é um direito do brasileiro


Todos os cidadãos brasileiros que tenham contribuído com o FGTS desde o ano de 1999 têm o direito dado por lei trabalhista ao reajuste do percentual do FGTS. Para entender, o cálculo feito era de uma taxa sobre o depósito feito no mês vigente e de uma taxa de 3% a 6% ao ano.

Para contabilizar este reajuste do FGTS, o governo utilizava o reajuste dado pela TR (Taxa Referencial), baseada em índices errôneos, com isto, causando aos trabalhadores uma defasagem que pode chegar até a 88% do valor exato. A TR não acompanhava ao INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), indicador que acompanha a variação da inflação sobre os preços médios dos produtos e serviços, causando com esse erro, a correção inexata dos valores.

Para todos aqueles que tenham ou tiveram saldo no FGTS nos últimos 14 anos, deve procurar por um advogado trabalhista, movendo uma ação individual ou sindicato da categoria, no caso, para aproveitar ações coletivas, pois, para reaver a diferença no saldo, o trabalhador precisará mover ação contra a Caixa Econômica Federal, a entidade gestora do FGTS.

Ao solicitar os seus direitos é necessário que disponibilize os seguintes documentos: Extrato do FGTS desde 1999 ou conforme o período, tal documento pode ser recolhido junto a qualquer agência da Caixa Econômica, cópia do RG e CPF, comprovante de endereço, cópia da CTPS e PIS/PASEP e para os aposentados, apresentar cópia da carta de Concessão do Benefício.

Em relação a receber de imediato ou não os valores correspondentes, serão estabelecidos de acordo com a Justiça Federal, pois o FGTS possui regras específicas para os saques e, de qualquer maneira, a diferença pode ser reajustada ao saldo existente em conta e utilizada para outros benefícios, tais como a aquisição do financiamento da Casa Própria.

Para os trabalhadores que já tiveram o resgate do FGTS, devido a demissões sem justa causa ou aposentadoria, verifique a melhor forma de entrar com a ação junto ao seu advogado.

Por Claudemir Pereira

Foto: divulgação



Caixa Econômica Federal – Informações sobre a redução na taxa de juros do Crédito Imobiliário


O Programa Caixa Melhor Crédito, oferecido pela Caixa Econômica Federal, apresentou redução na taxa de juros de até 21%. As novas condições passarão a valer para os novos financiamentos feitos a partir do 8º Feirão da Casa Própria, e que fazem parte do Sistema Financeiro de Habitação da instituição. 

Vale lembrar que essas novas taxas poderão ser contratadas tanto por clientes como por não clientes da Caixa, sendo que aqueles que possuem algum relacionamento com o banco, terão vantagens ainda maiores. 

Os imóveis que custam até R$ 500 mil, e que fazem parte do Sistema Financeiro de Habitação, terão taxas de 9% ao mês, sendo que antes da redução, os juros eram de 10% ao mês. Já para aqueles que optarem por receber o salário pela Caixa, essa taxa cai para 7,9% ao mês. De acordo com especialistas, a economia poderá chegar a R$ 1.800 em um financiamento de cerca de R$ 200 mil. Em um contrato de 20 anos, a economia, por exemplo, poderá chegar a R$ 18 mil. 

No caso de o cliente receber o salário pela Caixa, e optar por um financiamento pelas regras do FGTS, a taxa a ser cobrada é de 7,9% ao mês. Sendo que essa taxa cai ainda mais se o cliente for cotista do FGTS, passando a ser de 7,4% por mês.

Aqueles que estiverem enquadrados dentro do Programa Minha Casa Minha Vida também poderão aproveitar essas vantagens. 

Por Joyce Silva



Caixa Melhor Crédito – Novo programa da Caixa Econômica Federal


Os bancos estão dando mais atenção e credibilidade às famílias de baixa renda e pequenas empresas.

Seguindo a atitude do Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal anunciou que pretende lançar programas de redução de juros para crédito de famílias e financiamentos de micro e pequenas empresas.

Esta ação será anunciada nesta segunda-feira (09/04) e receberá o nome de “Caixa Melhor Crédito”. Com isso, haverá redução de taxas e outras medidas que vão auxiliar no processo do acesso ao crédito.

Parece que este é um programa que a maioria dos bancos terá que se adaptar, para poder continuar contando com investimentos por parte dos clientes. O primeiro foi o Banco do Brasil com o chamado “Bom para Todos”, seguido agora da Caixa, adotando medidas semelhantes para atrair este tipo de público.

De qualquer forma, com o auxílio de crédito e financiamento, a oportunidade de maior crescimento das famílias de baixa renda é garantida e muitos deverão arriscar um negócio próprio a fim de uma tentativa de aumento de renda.

Contudo, pode-se afirmar que esta ação corresponde a uma grande interferência na economia e pretende mudar a vida de muitas pessoas.

Por Anne A. Matioli Dias



Caixa Econômica Federal liberou o pagamento do PIS


A Caixa Econômica Federal já liberou o pagamento de R$ 9,2 bilhões em benefícios referentes ao PIS (Programa de Integração Social), o abono salarial, bem como outros rendimentos do PIS já foram concedidos a 91,41% dos trabalhadores, que podem sacar o benefício até 29 de junho.

Se o trabalhador perder o benefício, o mesmo será devolvido ao FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador).

Para ter direito ao benefício de abono salarial, é preciso ter cadastro no PIS/PASEP até 2006 e ter trabalhado pelo menos 30 dias com registro durante o ano de 2010. Atualmente, o valor do abono é de R$ 622,00.

Já para receber o rendimento do PIS é preciso ter cadastro até 04/10/1988 no PIS/PASEP e cotas no PIS.

Essas cotas são concedidas nos casos de aposentadoria, reforma militar, invalidez permanente, AIDS ou câncer do titular ou dos dependentes, morte do titular e outros.

Situações para sacar os benefícios:

– Quem tem conta bancária na Caixa Econômica Federal, é preciso conferir os lançamentos desde julho de 2011;

– Se a empresa em que você trabalha conta com a parceria da Caixa, os lançamentos serão feitos no próprio holerite;

–  Se você tem o Cartão Cidadão, basta se dirigir aos caixas eletrônicos da Caixa e conferir se o saque está disponível. Se você não tiver o cartão ou a senha, a solicitação de ambos pode ser feita nas agências bancárias ou por meio do atendimento telefônico da Caixa (0800 726-0101).

Por Natali Alencar



Programa de Fomento às Atividades Produtivas – Créditos para agricultores


Famílias envolvidas com atividades de agricultura ou afins já poderão receber o benefício do Programa de Fomento às Atividades Produtivas fornecido pela Caixa Econômica Federal. A população indígena que se enquadrar no perfil de extrema pobreza também poderá aproveitar o benefício.

A iniciativa faz parte do programa do Governo Federal Plano Brasil Sem Miséria e visa ajudar as pessoas que passam por dificuldades financeiras. Mais de 400 famílias já receberam parte do benefício, mas até o momento 685 famílias estão aptas a participar do programa. O governo leva em consideração, além da extrema pobreza, outros fatores, mas vale ressaltar que essas famílias precisam se cadastrar no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal para terem direito a receber o dinheiro. 

Os Estados que serão contemplados pelo benefício nesse primeiro momento são Sergipe, Minas Gerais, Pernambuco, Bahia, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba, mas a previsão do governo é que ele seja estendido para outros Estados do país. 

Os recursos vindos do programa precisam ser destinados para a aquisição de equipamentos e insumos usados na produção familiar, outro ponto exigido é que a agricultura praticada leve em consideração a preservação do meio ambiente.

Por Joyce Silva



Caixa Econômica Federal – Contratos Imobiliários – 1º Semestre de 2010


Nesta segunda-feira, 19 de julho de 2010, a Caixa Econômica Federal apresentou o resultado dos contratos firmados até o momento no primeiro semestre deste ano, para aquisição de imóveis.

Até agora foram cerca de quinhentos e setenta e cinco mil contratos, com uma liberação de mais de trinta e quatro bilhões de reais pela Caixa Econômica para este fim, sendo que quase a metade foi destinada ao programa Minha Casa Minha Vida.

Em relação ao mesmo período ano de 2009, o valor aumentou em 95,1%. Já em comparação a 2008, o valor já superou todo o investimento feito naquele ano, onde houve uma liberação total de 23,3 bilhões de reais.

Por Elizabeth Preático

Fontes: G1, O Globo



Feirão da Caixa movimenta R$ 8 Bilhões em Negócios


Inúmeras foram as capitais do país a receberem, de braços estendidos, o 6º Feirão da Casa Própria, idealizado pela Caixa Econômica Federal. O evento, encerrado no domingo passado, 13 de junho, contou com  mais de 450 mil imóveis disponíveis, 44% deles enquadrados no programa “Minha Casa, Minha Vida”.

Números expelidos pela instituição assinalam movimentação recorde de R$ 8 bilhões desde 7 de maio, montante acima das expectativas, uma vez que a própria CEF aguardava somente R$ 3,5 bi em negócios. Segundo o portal de economia G1, o banco contabilizou mais de 590 mil pessoas interessadas em adquirir casa própria.

Luiz Carlos de Menezes, gerente regional da Caixa de Belo Horizonte, enxerga positivamente o Feirão promovido pela instituição, na medida em que ano após ano os cidadãos têm se animado com as possibilidades oferecidas. Somente na capital mineira os negócios fechados somaram R$ 435 milhões.

Aos que perderam as oportunidades do 6º Feirão, vale a pena conferir outras possibilidades em apartamentos ou residências ainda na planta. O MCMV é voltado a quase todos os empreendimentos, com descontos que variam em vários mil reais.

Fonte G1

Por Luiz Felipe T. Erdei



Feirão da Casa Própria em São Paulo tem 152 mil imóveis


Nesta quinta-feira dia 13 de maio, o Feirão da Casa Própria da Caixa Econômica Federal chegou em São Paulo, trazendo ao público quase 152 mil ofertas, sendo 51,4 mil imóveis novos e 100,4 mil usados, localizados na capital, na região metropolitana e na Baixada Santista.

O valor total dos imóveis chegam a R$ 24,6 bilhões e a Caixa espera que o volume de negócios fechados cheguem a R$ 1,5 bilhão, com um público de 120 mil pessoas durante os quatro dias do evento. Está confirmada a presença de122 construtoras e101 imobiliárias.

Para comprar um imóvel é necessário comparecer munido de RG, CPF, comprovante de residência e os três últimos holerites. Autônomos ou trabalhadores informais podem substituir os holerites por extratos bancários e fatura de cartão de crédito.

Nos dias 13 e 14, o horário de funcionamento será de 10h as 21h e nos dias 15 e 16, das 9h as 20h, O Feirão ocorrerá no Centro de Exposições Imigrantes, na região do Jabaquara.

Por Mauro Tavares

Fonte: Uol



Feirão da Casa Própria em São Paulo


Começa nesta quinta-feira, 13/05, o Feirão da Casa Própria em São Paulo. Realizado pela Caixa Econômica Federal, o feirão disponibilizará 151.845 imóveis na Grande São Paulo e Baixada Santista. No feirão estarão presentes cartórios, construtoras, imobiliárias, corretores e diversas associações para darem todo suporte aos compradores.

A Caixa Econômica espera 120 mil visitantes ao Feirão e já divulgou a lista com os imóveis disponíveis aqui. O evento está será sediado no Expo Imigrantes, próximo ao Metrô Jabaquara, e ocorrerá somente até domingo, dia 16/05.

Nos dias 13 e 14, o Feirão ficará aberto das 10h às 21h e dias 15 e 16 das 9h às 20h. Na edição do ano passado a Caixa realizou cerca de 21,5 mil negócios.

Por Fernanda Peixoto

Fonte: Folha on-line



Minha Casa, Minha Vida – O sonho da casa própria


O sonho da casa própria nunca esteve tão em evidência como no atual governo federal.

Nos grupos de amigos, nas conversas no ambiente de trabalho, nos anúncios de corretoras e construtoras espalhados pelas cidades, comenta-se sobre as facilidades para adquirir a tão esperada casa própria e livrar-se do aluguel.

Mas, talvez pelo stigma de burocracia e dificuldade que os trâmites de um financiamento dessa natureza sempre carregaram, muita gente não se propõe a buscar mais informações sobre a Campanha Nacional “ Minha Casa, Minha Vida”.

Portanto, para aqueles que como eu, sonham com a aquisição da moradia própria, seguem algumas informações que podem ajudar na tomada de decisão sobre pelo financiamento ou não.

O investimento do Governo Federal destina-se a famílias com renda de 3 a 10 salários mínimos, com prestações compatíveis com a capacidade de cada uma delas. Além da ausência de burocracia na aprovação de alvarás, licenças e projetos, as famílias contam com a redução e, em alguns casos, até isenção de custos cartoriais, de alíquotas e de seguros. Assegurando também o uso do FGTS para aquisição da moradia.

Com esta Campanha o país sai ganhando de diversas maneiras, gerando mais empregos, e crescimento num parceria do Governo federal com os Estados, Municípios e a iniciativa privada.

Os interessados podem buscar mais informações na Caixa Econômica Federal (www.caixa.gov.br).



Uso do FGTS em Consórcio de Imóveis


A Caixa Econômica Federal possui um benefício para as pessoas que detenham um consórcio imobiliário, que é o uso de recursos do FGTS para o pagamento das prestações.

Para aderir ao benefício, a pessoa física deve se encaminhar a qualquer agência do banco portando os seguintes documentos:

  • Extrato analítico dos últimos 2 anos da conta vinculada;
  • Comprovante de tempo de trabalho sob o regime de FGTS;
  • Comprovante de não propriedade de imóvel nas condições impostas pela Caixa;
  • Segunda via do DAMP 3 (formulário de solicitação emitido pelo sistema) e
  • Certidão de Inteiro Teor da Matrícula.

Mais informações podem ser obtidas através do site www.caixa.gov.br no link Consórcio Caixa.

Por: Teresa Almeida



Caixa Econômica lucra mais de R$ 970 milhões em 2009


A Caixa Econômica Federal encerrou os últimos três meses do ano passado com um lucro líquido de mais de R$ 970 milhões, configurando, assim, um desenvolvimento de 57,4% em comparação ao mesmo período de 2008, segundo reportagem veiculada pelo Yahoo! Notícias, com base na agência de notícias Reuters.

No acumulado de 2009, o lucro da Caixa Econômica alcançou R$ 3 bilhões, bem abaixo do constatado em 2008, quando à ocasião apresentou lucros de R$ 3,9 bilhões. No final de 2009, a carteira de crédito do banco figurava mais de R$ 124 bilhões, uma ascensão de 55,3% em um ano.

Outro dado levantado pela CEF foi o saldo de operações vencidas com prazo superior a três meses, com recuo de 2,4% para 2,2% do total.

Fonte: Yahoo!Notícias

Por Luiz Felipe T. Erdei



FGTS na Renovação de Frota de Ônibus


A Caixa Econômica Federal revelou mais uma de suas investidas. De acordo com a instituição, o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) poderá ser utilizado para a renovação da frota de ônibus pelo Brasil. Informações iniciais indicam, também, que o montante aprovado e liberado é de R$ 1 bilhão para o atendimento às empresas do setor.

Wellington Moreira Franco, vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias de Caixa, afirma que esses recursos terão por fim atender, principalmente, pequenas empresas que visam renovar sua frota.

A Agência Estado veiculou que o FGTS deve empregar R$ 3 bilhões nessas operações para o setor de transporte, aproximadamente 35% para a renovação de frota e os outros 65% para transporte nos trilhos.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Caixa Econômica disponibilizará Uso do FGTS para pagamento de Dívidas com Consórcios Imobiliários


Eis uma boa notícia àquelas pessoas que desejam utilizar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para fins de investimentos, pois a Caixa Econômica Federal anunciou que disponibilizará esse benefício para a quitação ou amortização de dívidas com consórcios imobiliários, bem como para o abatimento de parcelas. O intento entrará em vigor em no máximo três meses.

Esse anúncio é uma extensão da Medida Provisória elaborada durante este ano. O Conselho Curador do fundo, órgão que aprovou a iniciativa, assegura que a utilização do FGTS só será comportada se a reserva do consórcio estiver sob a tutela do titular da conta atrelada ao fundo.

Diversas definições foram acertadas, dentre elas que as amortizações só poderão acontecer de dois em dois anos. Para o cidadão utilizar o Fundo de Garantia, três anos de trabalho em uma mesma empresa ou empresas diferentes será necessário.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Financiamento de Materiais de Construção – Caixa libera Crédito


O setor de materiais de construção conquistou um importante avanço. A Caixa Econômica Federal lançou uma linha de crédito de R$ 1 bilhão voltada à aquisição de materiais de construção em lojas de varejo, com prazo de financiamento de até 24 meses.

O valor máximo estipulado é de R$ 10 mil, que dependerá do acordo estabelecido entre a Caixa Econômica e os lojistas. De acordo com a instituição, caso haja demanda nesse novo negócio, os recursos poderão sofrer uma ampliação em mais de R$ 1 bilhão.

Com base no desenvolvimento preterido por essa medida, Claudio Elias Conz, presidente da Associação Nacional dos Comerciantes de Construção (Anamaco), afirma que o setor poderá apresentar um maior desempenho em 2010 diante do atual ano, em aproximados 4%.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Financiamento Imobiliário pela Caixa Econômica cresce 93%


Até o último dia de novembro, pouco mais de R$ 39 bilhões foram concedidos pela Caixa Econômica Federal em financiamentos imobiliários. Estimativas dão conta de que o valor suplanta em 93% o percentual registrado no mesmo período de 2008.

A Caixa garante que quase 757 mil famílias foram acatadas, 42% delas com renda estimada em até cinco salários mínimos. De acordo com a instituição, a média de financiamento habitacional é de R$ 69 mil por meio do banco.

Mais de 2,7 mil propostas de financiamento de empreendimentos ligados ao programa “Minha Casa, Minha Vida” foram recebidas pela Caixa Econômica até o dia 30 de novembro. Além disso, 322 mil são voltadas a pessoas com renda de até três salários mínimos mensais, 138 mil para indivíduos de três a seis salários mínimos e quase 107 mil para cidadãos que recebem entre seis e dez salários mínimos.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Caixa Econômica adquire parte do PanAmericano por pouco mais de R$ 730 mi


Após a confirmação da aquisição do Banco PanAmericano pela Caixa Econômica Federal, o mercado já tem noção, por meio de dados consistentes, de quanto a CEF pagou à instituição gerida pelo apresentador e dono do SBT, Silvio Santos.

Com uma participação de 35,54% no Banco Panamericano, o montante exato foi estipulado em R$ 739.272 milhões. Entre outros dados primordiais, a Caixa Econômica ficará com 49% das ações ordinárias do banco do Grupo Silvio Santos e 20,69% dos papéis preferenciais, ou seja, 35% do capital social total.

O acordo estima, ainda, que a comercialização de serviços e produtos será feita pelas duas instituições, em conjunto. O início desta negociata tem por base as intenções de a Caixa Econômica Federal ampliar sua área de atuação em operações de leasing e financiamento de veículos automotores.

O negócio, por fim, aconteceu por meio da Caixa Participações S.A., ou simplesmente CaixaPar, que fora criada neste ano a partir de uma ajuda de R$ 3 bilhões.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Caixa Econômica e Fecomercio estabelecem acordo para a concessão de créditos


Com a finalidade de tornar viável a concessão de créditos a micros, pequenas e médias empresas vinculadas à Caixa Econômica Federal, a Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio) e a citada instituição firmaram uma parceria.

O acordo prevê que os associados irão angariar descontos de 30% na taxa de juros para as linhas de créditos do órgão financeiro.

O atendimento personalizado às empresas associadas aos sindicatos da federação será um dos diferenciais, principalmente porque esses terão consultoria financeira e um melhor e mais eficaz direcionamento para a adesão de operações primordiais.

A fim de garantir empréstimos dessa natureza, a Caixa empregará R$ 22 bilhões em operações advindas do Fundo Garantidor de Benefício até este mês. Se avalistas evidenciarem bens, o fundo cobrirá até 60% do empréstimo limitado a R$ 250 mil; caso não haja a confirmação de bens, o fundo cobrirá até 80% do valor dos empréstimos em até R$ 125 mil.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Caixa Econômica pode comprar parte do Banco Panamericano


Rumores dão conta de que a Caixa Econômica Federal tem o interesse em adentrar no segmento de crédito pessoal. Isto já pode ser confirmado: o Banco Panamericano, pertencente ao grupo Silvio Santos, assegura que há uma negociação em andamento entre ambas as partes.

Inicialmente, o banco do “Homem do Baú” poderá vendar cerca de 49% do seu capital votante e outros 20% do capital não votante, o que resulta, no final das contas, em aproximados 35% de seu capital social. Por enquanto há somente percentuais, haja vista que o preço de negócio ainda não está definido, de acordo com o Panamericano.

Com esses boatos, em 25 de novembro as ações do banco do apresentador e dono do Sistema Brasileiro de Televisão (SBT) acumularam alta de 35% no mês de novembro. Ao que tudo indica, não existe, por enquanto, qualquer documento assinado entre o Panamericano e a Caixa Econômica Federal.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Caixa Econômica pode Comprar Banco e Atuar em Crédito de Varejo


Fontes da Caixa Econômica Federal apontam que a instituição deve finalizar, em breve, sua primeira compra participativa de uma entidade financeira. Com isto, a CEF poderá atuar em locais pouco explorados anteriormente. Boatos denotam que um banco de médio porte, com atuação no crédito de varejo, deve ser o alvo aquisitivo.

O negócio será concluído pela CaixaPar, então subsidiária da Caixa Econômica Federal, criada no ápice da crise financeira mundial para a aquisição de participações acionárias em outras companhias. Atualmente, revela um executivo que não se identificou em reportagem ao jornal O Estado de S. Paulo, aspectos técnicos da operação estão sendo finalizados.

Para o governo brasileiro, a importância de ter um banco público na área de crédito pessoal pode aumentar a concorrência com os bancos privados, possibilitando, inclusive, que taxas de juros sejam baixadas.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Apagão causa pane e atrasa pagamento de Seguro Desemprego


O prejudicial apagão da última semana provocou uma pane no sistema da Caixa Econômica Federal. Com isso, os indivíduos que foram a uma das agências não puderam retirar o auxílio seguro-desemprego nos dias seguintes ao problema, bem como aquelas que precisam de recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para a utilização em financiamentos da casa própria.

Alguns atendentes da Caixa afirmavam, na ocasião, inclusive aos aposentados, que a pane era um problema nacional, mas que não sabiam, ao certo, o que realmente acontecia. Em outras tantas agências, o apagão geral foi utilizado como explicativo para os entraves no sistema.

De acordo com a Caixa Econômica por meio do jornal O Estado de São Paulo, os serviços do FGTS foram restabelecidos e já ocorrem dentro dos prazos legais em suas agências, num prazo de cinco dias úteis. A instituição afirmou ser uma pane elétrica a causa do problema, que afetou seu prédio central, no Rio de Janeiro.

Por Luiz Felipe T. Erdei