Atualizações anteriores



Bens de Capital, Veículos de Transporte e Construção Civil – IPI reduzido até final de 2011


O pedido já decorria há meses, mas somente agora foi oficializado. De acordo com decreto publicado no Diário Oficial da União, no dia 16 de dezembro, o governo prorrogou para até 31 de dezembro do ano que vem a diminuição do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) a materiais de construção.

Leia mais: Isenção do IPI para Materiais de Construção – Prazo Prorrogado

Outros setores também abrangidos foram bens de capital (equipamentos e máquinas) e veículos de transporte. De acordo com o R7, houve redução para 5% às alíquotas dos painéis edificados para revestimento de pisos.

Há poucos dias, Guido Mantega, ministro da Fazenda, já havia anunciado a inclinação de extensão da prorrogação da redução do IPI a materiais de construção. Com essa definição, o setor deverá acompanhar o crescimento de outro segmento – totalmente próximo: o imobiliário.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Fim da Redução do IPI para carros e bens de capital


O governo brasileiro não pretende renovar as desonerações fiscais do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) a carros e máquinas, segundo discurso proferido por Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil. Para ele, os últimos sinais sobre a recuperação econômica tornam a medida possível e em tempo certo.

Otimista, o presidente revela que as iniciativas adotadas no ano passado atingiram o principal objetivo, que foi o de elevar as vendas em diversos setores e fazer o capital girar em meio a crise financeira global. O incentivo, de acordo com Portal de Economia UOL, com base em informações do Valor Online, foi encerrado no último final de semana, em 31 de janeiro.

Por outro lado, para bens de capital, que engloba equipamentos e máquinas para indústrias, o estímulo permanecerá até 30 de junho. Aos automóveis, porém, o fator redutivo do IPI será finalizado de maneira gradual até o final de março.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Bens de capital apresenta alta de 5,9% em outubro deste ano


O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) relatou que a produção de bens de capital registrou ascensão de 5,9% em outubro ante seu mês antecessor. No entanto, em comparativo com o mesmo período de 2008, há um retrocesso de 16,8%.

Em 2009, a produção de bens de capital aglomera um baque de 22%, mas num período de exatamente um ano, há recuo de 19,4%. Mesmo assim, as categorias de uso assinalaram altiva produção em outubro em comparação com o mês de setembro.

Além de bens de capital, outros segmentos apresentaram dilatação, entre eles bens de consumo duráveis, com 5,9%, bens intermediários, com 1,2%, e bens de consumo semi e não duráveis, com 1,3%. Mesmo assim, atesta a Agência Estado, apenas a categoria de bens duráveis teve alta anotada, na produção, em 2,8%.

Por Luiz Felipe T. Erdei