Atualizações anteriores



Déficit na balança comercial brasileira foi menor em julho


Déficit registrado em julho deste ano foi de US$ 6,163 bilhões, ou seja, 33% menor do que no mesmo período de 2014.

A crise no Brasil continua a refletir nos números econômicos. De acordo com dados do Banco Central (BC), informados nesta terça-feira (25), o País atingiu em julho deste ano um déficit de US$ 6,163 bilhões em suas transações internacionais. Este número é 33% menor do que o mesmo período de 2014.

O órgão monetário atribuiu a melhora da balança comercial da conta corrente à desvalorização do real, o que contribuiu para aumentar a competitividade das exportações e reduziu a demanda por bens e serviços no exterior.   

Segundo o chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel, um outro ponto que influenciou no resultado foi o dinamismo da economia no Brasil. Apresentando um ritmo bem menor do que em anos anteriores, o resultado é uma menor demanda de bens e serviços externos.   

O déficit em conta corrente chegou a US$ 44,094 bilhões, nos meses de janeiro a julho deste ano. Tal número representa uma queda acentuada de 24,4% em relação ao mesmo período de 2014, quando chegou a US$ 58,332 bilhões.  

Segundo o BC, a queda dos gastos no exterior, a alta do dólar frente ao real contribuíram significativamente para a  redução do déficit. A alta do dólar ajudou a encarecer as passagens internacionais, da alimentação e da hospedagem no exterior. Com isso, os brasileiros optam por destinos nacionais.

O órgão também divulgou os gastos dos brasileiros em viagens internacionais, que chegaram a US$ 1,677 bilhão em julho. Comparado ao ano passado, a queda foi de 30,4%.

Devido à instabilidade nas bolsas chinesas, o dólar chegou nesta semana a R$ 3,62, maior cotação em 12 anos. A projeção é que o País consiga fechar o ano com um déficit em suas contas com o exterior de US$ 81 bilhões. Tal resultado é consideravelmente inferior ao registrado em 2014, quando o saldo negativo ultrapassou a barreira dos US$ 100 bilhões.

Por William Nascimento

Balança Comercial



Balança comercial brasileira registrou déficit em fevereiro


Déficit chegou a US$ 6,87 bilhões em fevereiro de 2015

A balança comercial brasileira fechou o mês de fevereiro com um novo déficit. De acordo com os números apresentados no dia 24 de março pelo BC (Banco Central), o déficit registrado chegou aos US$ 6,87 bilhões.

Apesar deste alto índice, o resultado apresentado foi melhor que o especulado por economistas no mês passado, onde a previsão de déficit seria de US$ 7,7 bilhões, já que em janeiro o total de perdas registrado na balança comercial foi de R$ 10,65 bilhões.

No período dos últimos 12 meses, o Brasil negociou US$ 17,53 bilhões a menos com outros países, mesmo assim, abaixo do déficit de US$ 18,97 bilhões registrados no mesmo período de 2014.

Quando se diz que houve um “déficit” nas transações comerciais entre o Brasil e seus parceiros comerciais internacionais, isso quer dizer que o país teve uma despesa superior a sua receita. E para se chegar a estes números, incluem-se dados das importações e exportações, gastos com passeios e translado dos brasileiros no exterior e ainda transferências financeiras entre os países.

No mês de fevereiro, a diminuição acentuada nas exportações de commodities agrícolas (produtos agrícolas produzidos em grande quantidade e negociados em nível mundial – Exemplo: soja, trigo, café, algodão, suco de laranja congelado entre outros) e commodities minerais (minério de ferro, petróleo e outros), fez com que a balança comercial brasileira sofresse um impacto negativo de US$ 2,4 bilhões. Gastos extras com aluguel de equipamentos para plataformas de petróleo no exterior, também contribuíram negativamente com um total de US$ 1,55 bilhão para os resultados da balança comercial brasileira no mês.

O IED – Investimento Estrangeiro Direto foi menor que os 3,2 bilhões de dólares que o mercado esperava. No mês passado o IED total no Brasil foi de US$ 2,76 bilhões.

A balança comercial externa do país fechou o ano de 2014 com uma perda total de US$ 90,94 bilhões.

A divulgação destes prejuízos nas contas externas brasileiras se mostra como mais um fator agravante neste cenário econômico fragilizado e repleto de incertezas, com inflação e tributos altíssimos para a população e também para os empresários e com um nível de desemprego se apresentando cada vez maior em vários setores da economia.

Por André F.C.

Balança comercial



Balança comercial fechou o mês de janeiro em vermelho no Brasil


Se o desemprego já tem causado muitos transtornos, agora é a vez da Balança Comercial brasileira dar sinais claros de muito desânimo. Pela primeira vez desde 2001, ela fechou no negativo.

A produção industrial em Dezembro de 2008 foi na casa de 10%, mas a tendência é que não chegue a piorar nessa ordem. A partir de fevereiro ou março, as empresas devem começar a recontratar. Ufa!

Em média, as exportações brasileiras cairam cerca de 25%, o que é uma retração bastante considerável.