Atualizações anteriores



Bacen pretende deixar a inflação na meta até além de 2016


Banco Central tem o compromisso de fazer com que a inflação oficial caia para 4,5% até o final de 2016.

Não vai ser fácil, mas o Banco Central garante que vai trabalhar de forma assídua para conseguir fazer com que a inflação atinja a meta e seja mantida para além de 2016. O anúncio foi feito por Alexandre Tombini, presidente do Banco Central, ao participar de um evento em São Paulo, na última semana.
Alexandre Tombini garantiu que o Banco Central tem o compromisso de fazer com que a inflação oficial caia para 4,5% até o final de 2016.

A meta não vai ser nada fácil, já que a inflação anual no Brasil já subiu para 8,8% até o final do primeiro semestre e a expectativa para esta segunda metade do ano não é nada animadora. Novos aumentos da energia elétrica, combustível e o preço dos alimentos outra vez irão disparar os preços em vários setores, podendo até elevar a inflação ainda mais do atual patamar.

Mas Tombini reafirmou o compromisso do BC com a política monetária do país e vai atuar de forma contínua, vigilante, assegurando que a atual inflação seja convertida à meta para 2016 e, principalmente, que se mantenha estável para os anos seguintes.

Para conseguir frear a inflação e mais ainda, reduzi-la, Tombini aposta em "determinação e perseverança" e disse estar convencido de que todos os ajustes macroeconômicos vão ser a base para que o país possa retomar seu crescimento sustentável.

O Banco Central, através do "Relatório Trimestral de Inflação", deixou claro que as dificuldades econômicas poderão ser ainda maiores, visto que é necessário um aperto monetário ainda mais intenso, frente ao atual cenário onde a inflação não para de crescer, dificultando ainda mais que se consiga atingir a meta de apenas 4,5%.

A grande maioria dos especialistas aposta que a taxa básica de juros que atualmente está em 13,75% ao ano continue subindo e o consumidor tenha um crédito cada vez mais caro.

Ficou claro que o Banco Central vai se empenhar para conseguir deixar a inflação na meta até 2016 e nos anos seguintes, mas contando com pouco tempo para isso, somente o restante deste ano, terá que tomar medidas duras.

Por Russel

Inflação



Bacen – Consumo de turistas no Brasil tem aumento de 17,3% em abril


O segmento turístico se prepara para receber da melhor maneira possível os turistas estrangeiros que passarão por aqui em 2014, ano da Copa do Mundo. Enquanto as obras estão em andamento, os viajantes do exterior transitam em meio à diversidade cultural do país e os brasileiros, por sua vez, buscam aproveitar as melhores condições financeiras para conhecer destinos de outras nações.

Matéria divulgada pelo Ministério do Turismo (MTur) com base em anúncio realizado pelo Banco Central (BC) aponta que os gastos de turistas estrangeiros no Brasil saltaram para 17,3% em abril ante mês igual de um ano atrás, para R$ 540 milhões.

De acordo com Mario Moysés, presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (EMBRATUR), os dados enunciados ilustram que o trabalho realizado pelo país em fomentar os serviços e atrações, além de toda qualidade disposta em cada destino, assegura o Brasil no cenário mundial e o torna cada vez mais competitivo.

Entretanto, muito ainda precisa ser feito para o país não dar vexame durante a Copa do Mundo, como várias vezes observa o ex-jogador de futebol Pelé. O Brasil, por enquanto, tem se preocupado em salientar números sobre números, mas a verdadeira prova será conceituada daqui a três anos, de maneira qualitativa.

Por Luiz Felipe T. Erdei