Atualizações anteriores



Plano Nacional de Banda Larga Brasileiro força empresas a investirem no setor


O Plano Nacional de Banda Larga brasileira promete oferecer acesso a rede mundial de computadores via conexão rápida. Com preços baixos para todos os habitantes do país. O projeto, altamente rentável em uma sociedade voltada à informação, promoverá uma revolução no setor. Os atuais provedores precisarão equivaler preços com a finalidade de angariar clientes, cabendo ao consumidor optar pela bandeira que melhor lhe convier.

A Telefônica uma das maiores companhias atuantes no segmento, anunciou, nesta terça-feira 20 de julho, investimentos de R$ 930 milhões para seus serviços de ingresso à internet. Segundo o portal de notícias G1, essa aplicação financeira representa 40% do seu total para este ano. Em 2009, as somas cercearam R$ 750 milhões.

Fábio Bruggioni, diretor-executivo do setor residencial, afirma que não existirão problemas com o Speedy, diferentemente em ocasiões anteriores. Nos anos 2008 e 2009, por exemplo, falhas críticas ocorreram nos serviços de banda larga da Telefônica, situação que obrigou a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) a adotar medidas visando assegurar melhorias aos clientes.

Por Luiz Felipe T. Erdei



ANATEL Padroniza Regras e Metas para Telefonia Fixa


Foi publicado no Diário Oficial da União, no dia 17 de novembro, por meio da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), um regulamento para padronizar as regras já utilizadas pelo órgão para o controle da execução correta das metas de universalização pelas concessionárias de telefonia fixa.

O comprometimento das empresas, estabelecidas em 2003 no Plano Geral de Metas de Universalização, cerceia os serviços figurados em telefonia fixa individual e aqueles de uso coletivo, tais como os inúmeros orelhões instalados pela cidade. Com essa publicação, as companhias terão de executar o planejamento das ações, apresentar dados à Anatel sobre o cronograma de realização das metas e divulgar largamente essas medidas a seus clientes.

Além disso, prevêem as metas, será necessário um tratamento particular da infraestrutura de acesso à banda larga, que tem de ser esticada até a sede de todo e qualquer município brasileiro até o fim de 2010. Pode-se esperar, neste último caso, uma resolução bem interessante, pois Lula receberá um encaminhamento da Banda Larga Popular na semana que vem, que conjetura o acesso à internet de alta velocidade a todos os cidadãos do país.

Por Luiz Felipe T. Erdei