Atualizações anteriores



Abras – Índice Nacional de Vendas sobe para 13,6% em Abril


O setor supermercadista conquistou expressivos números ao final de 2010 com as festas de Natal e virada de ano, e também durante a última Páscoa. E se passado é passado, que tal observar os dados mais recentes divulgados pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras)?

De acordo com o Índice Nacional de Vendas, as vendas reais do segmento avançaram 13,60% no mês de abril em comparação ao período igual de um ano atrás. No comparativo mensal, ou seja, contra março de 2011, o índice alcançado foi de 7,17%.

A Abras assinala que em valores nominais o indicador apresentou expressivo avanço de 21% em abril ante mês similar de 2010 e incremento de 8% sobre março de 2011. No acumulado nominal, ou seja, durante os quatro primeiros meses, a taxa atinge índice de 12,08% em relação ao primeiro quadrimestre do ano passado.

Possivelmente, o segmento não sentirá com gravidade as medidas adotadas pelo Banco Central (BC) desde o final de 2010, pois os consumidores, mesmo optando por produtos mais baratos e diminuindo o consumo, sempre percorrem gôndolas em busca de mercadorias para abastecer o lar.

Por Luiz Felipe T. Erdei



AbrasMercado – Alta em abril de 2011


Ao divulgar os números referentes ao Índice Nacional de Vendas, a Associação Brasileira de Supermercados (Abras) afirmou que a Páscoa foi bastante positiva para o segmento. Não à toa, em abril as vendas reais de supermercados avançaram 13,60% em relação ao mês igual de 2010 e outros 7,17% sobre março de 2011.

Na mesma ocasião do anúncio, realizado em 25 de maio, a associação expôs os índices da AbrasMercado em parceria com a empresa de pesquisa de mercado GfK. Considerando 35 produtos consumidos em ampla escala, o indicador subiu 1,05% entre março e abril. No comparativo anual, ou seja, contra o quarto mês de 2010, o crescimento chegou a 7,59%.

Os números indicam, deste modo, que a cesta passou de R$ 279,32 para R$ 300,52. De todos os produtos consultados, a batata, com margem positiva de 28,04%, a cebola, com incremento de 14,73%, o feijão, com alta de 5,27%, e o extrato de tomate, com aumento de 5,18%, foram os que mais contribuíram para a elevação da AbrasMercado. Em contrapartida, as principais baixas ocorreram no tomate, com decréscimo de 14,63%, no açúcar, -2,25%, na farinha de mandioca, -1,70%, e no queijo mussarela, -1,56%.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Abras – Supermercados podem adotar precificação por unidade de valor


Os supermercados são um dos ambientes preferidos dos consumidores – isto é, em termos gerais. Nesses centros de compras estão situados produtos de consumo imediato, perecíveis, ou outros que podem ser estocados. No entanto, quem não parou à frente de uma determinada marca de refrigerante, por exemplo, para saber quanto custa o litro do líquido ao invés do conteúdo todo?
Sussumu Honda, presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), propôs durante um dos principais eventos do setor, a precificação nos estabelecimentos por unidade de custo. Deste modo, tanto consumidores como supermercadistas podem obter bons benefícios.
Com as devidas regularizações, a Abras pretende, em breve, trabalhar para emplacar a medida no país inteiro. Por enquanto, apenas supermercados de Fortaleza e do Rio de Janeiro adotam essa prática.
A ideia é realmente interessante. Ainda como base nos refrigerantes, atualmente existem vários modelos, de 300 mililitros (ml), 600 ml, 1 litro, 2 l, 2,5 litros ou mais. Isso ajuda ao consumidor, entre outros fatores, a levar para casa um produto que apresente o melhor custo benefício.
Por Luiz Felipe T. Erdei



Abras – Vendas reais em supermercados – Fevereiro de 2011


As perspectivas de crescimento do setor supermercadista brasileiro para a Páscoa são as mais otimistas possíveis. Segundo a Associação Brasileira de Supermercados (Abras), o avanço nas vendas deve chegar a 10,6%, índice parcialmente justificado em função das encomendas mais elevadas de produtos ligados à ocasião.

Enquanto o segmento se prepara, preocupa-se também em divulgar dados passados. Segundo o Índice Nacional de Vendas da Abras, as vendas reais do ramo saltaram 2,77% no mês passado em comparação a fevereiro de 2010, porém recuaram 7,1% no confronto com janeiro de 2011. No acumulado bimestral, a taxa registrada foi positiva: 3,24%.

De acordo com Sussumu Honda, presidente da associação, o arrefecimento de fevereiro contra janeiro era aguardado, pois esse período possui menos dias (28 ao todo, contra 31 do mês imediatamente anterior). Mesmo assim, outros fatores acabaram prejudicando as vendas, como é o caso da volta às aulas e o pagamento de impostos, como o IPVA.

Sussumu, porém, prevê bons índices a partir do próximo mês, que culminará, em sua óptica, no crescimento das vendas em 4% ao final de 2011.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Abras – Vendas em Supermercados – Crescimento em Outubro de 2010


A economia brasileira, como muitos podem perceber, caminha bem mesmo em meio às dificuldades enfrentadas pelos países desenvolvidos em se recuperar totalmente do recente colapso financeiro global. O otimismo do consumidor responde com certa firmeza a alguns pontos, entre os quais o poder de compra mais evidente e aumento do número de postos de trabalho.

O cidadão tupiniquim tem apostado no 13º salário para quitar dívidas ou, então, para a compra de presentes. Independente dessa situação isolada, vários setores sentem melhorias em suas atividades de vendas, como é o caso dos supermercados. Em outubro, de acordo com a agência de notícias Reuters, a comercialização real desse setor avançou 3,8% sobre o mês análogo de 2009.

Levantamento edificado pela Associação Brasileira dos Supermercados (Abras) também indica existência de alta (7,02%) se comparado o mês passado com setembro de 2010. No acumulado anual até outubro as vendas reais contabilizam aumento de 4,66% ante o período igual do ano passado.

Outro ponto positivo são os volumes de vendas, que até outubro acumulam incremento de 7% sobre os mesmos dez meses de 2009. As cestas de bebidas alcoólicas e não alcoólicas são as grandes motivadoras da alta, pois avançaram 16,5% e 11,5%, respectivamente.

Por Luiz Felipe T. Erdei



Abras – Vendas nos supermercados crescem 6,5%


A crise financeira mundial levou todo o globo terrestre a ambiente de incertezas, acarretando prejuízos às pequenas, médias e grandes empresas, bem como, à própria população, que em partes teve de suportar alta no número de desemprego e menor acesso ao crédito, além de dificuldades em honrar compromissos financeiros.

Após esse negro período, o Brasil experimentou e continua a degustar os benefícios por ter deixado o colapso global. Os créditos, o número de empregos e facilidades em manter financiamentos são algumas das características em alta, tanto que a Associação Brasileira de Supermercados (Abras) relacionou avanço nas vendas de supermercados em 6,5% no primeiro semestre de 2010 em comparação ao mesmo período do ano passado.

Esmiuçado por categorias, o volume de bebidas alcoólicas foi um dos principais responsáveis, respondendo, por si só, 15% desse total. Cervejas, uma das culturas mais consumidas em todo o mundo, teve alta de 18% no período de análise anteriormente mencionado.

O percentual só não foi maior, de acordo com o portal de notícias G1, devido à queda de quase 4,6% nas vendas de junho em comparação a maio, porém, ascensão de 4,92% foi constatada no mês passado ante período igual de 2009. De acordo com a entidade, o baque deve-se ao menor número de dias em junho (30) e à maior quantidade de finais de semana ante o mês imediatamente anterior.

Por Luiz Felipe T. Erdei