Plano Simplificado de Inclusão Previdenciária para autônomos, donas de casa e estudantes



  

O Plano Simplificado de Inclusão Previdenciária foi feito para o trabalhador autônomo e que não possui condições para pagar o INSS no valor normal, que é de 20% sobre o salário mínimo.

Com este plano, o trabalhador poderá pagar apenas 11% do valor do salário mínimo (R$ 45,65) e será beneficiado pela Previdência Social.





O Plano Simplificado poderá ser aderido por qualquer pessoa, acima de 16 anos de idade, que não possua carteira de trabalho assinada. Também poderão aderir ao plano donas de casa e estudantes.

Quem aderir ao Plano Simplificado de Inclusão Previdenciária terá direito aos benefícios do INSS, exceto aposentadoria por tempo de contribuição.

Leia também:  Proposta do Governo quer alterar Idade Mínima da Aposentadoria para 65 Anos

Para aderir ao plano, os interessados deverão acessar o site www.previdencia.gov.br ou ligar para 135 (ligação gratuita).



FacebookTwitterGoogle+LinkedInWhatsApp

5 comentários em “Plano Simplificado de Inclusão Previdenciária para autônomos, donas de casa e estudantes

  1. >> apenas 11% do valor do salário mínimo (R$ 45,65)

    A partir de janeiro de 2010, R$ 56,10 (R$510,00 x 11%)

  2. Algumas pessoas Além da Aposentadoria tradicional INSS, investem em Ações, outras em papeis, títulos, outras em poupança, outras em fundos de investimentos, ou em titulos de capitalizações, outras já preverem comprar cotas de consórcios, ou fazer Financiamento. O importante mesmo, é estudar a viabilidade de ser ter além da aposentadoria tradicional a complementar que é a aposentadoria privada.
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Previd%C3%AAncia_privada
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Ibovespa
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Susep
    CONSULTE CADA UM DELES

  3. Boa Tarde Senhores. Sou advogada, professora e dona de casa. Sei o quanto as classes pobres tem sofrido neste país tão rico. As autoridades legisladoras deveriam avaliar a situação do Sistema especial de inclusão previdenciária, sob o aspecto de condições de vida de um trabalhador brasileiro que sobrevive com um salário mínimo. Tenho que divulgar esta questão. O sistema inclui a opção de alíquotas e carência menor, exceto para aposentadoria por tempo de contribuição. Vejam a injustiça social instalando-se. O indivíduo que sobrevive com um mínimo, é alguém com menos saúde. Vejam só: Se ele está cansado nos fins de semana, não pode pagar uma lavadeira ou faxineira em casa, ele deverá pegar no pesado. Se quiser comer tem que ir para o fogão. Não pode almoçar fora e descansar nos fins de semana. Se tem filhos, não pode pagar uma babá para descansar. Ela com certeza, trabalha o dobro. Se ganha mal come mal, tem portanto menos saúde e certamente nunca irá se aposentar com saúde. Não desfrutará do descanso tão sonhado:a aposentadoria. Quando não conseguir mais trabalhar certamente estará na hora da morte. O infeliz vai trabalhar até morrer. A vida de quem ganha um salário mínimo é vida de pobre. E pobre não tem descanso. O tempo da escravidão era da mesma forma. Trabalhava-se até morrer. Onde está o sistema de inclusão social tão divulgado pelos governantes ??? Qual é o benefício ???
    Por favor divulguem esta questão. E as mães de família que não descansam nunca ??? como fazem ??? Os princípios da Seguridade entre os quais a Equidade na forma de participação no custeio, tem que ser respeitado. Se liga Brasil !!!!
    Um abraço
    Valéria Costa